[POSTAGEM DE CONVIDADA ESPECIA] Especial Resenha Cinéfila - Uma Linda Mulher

Uma Linda Mulher 
Ano de lançamento: 1990 
Direção: Garry Marshall 
Destaques do elenco: Richard Gere, Julia Roberts
Sinopse
O filme conta a história de uma atraente prostituta chamada Vivian Ward (Julia Roberts) que conhece por acaso o milionário Edward Lewis (Richard Gere), que a contrata por uma semana e que acaba apaixonando-se por ela. 
No período em que a garota é contratada pelo milionário, ela se transforma em uma mulher elegante, para acompanhá-lo em compromissos sociais. No entanto, os dois começam a se envolver mais profundamente, nascendo uma grande e divertida amizade, além de um carinho imenso, e assim, a relação cliente/garota de programa modifica-se para um relacionamento envolvendo sentimento entre homem e mulher e os dois acabam se apaixonando verdadeiramente e terão que enfrentar tudo e todos para poderem viver esse grande amor, que é cercado de muitos preconceitos da sociedade, pelo fato dela ser uma simples prostituta do subúrbio e ele, um homem conceituado perante as pessoas.
Comentários:
“Oh Pretty woman, walking down the street, pretty woman, the kind I like to meet...”
E assim começamos a nossa resenha (muito especial) em comemoração às Bodas de Prata (Casamento de uma obra cinematográfica & seu público muito fiel) de um dos filmes mais adoravelmente romântico da década de 90 - Pretty Woman - Uma Linda Mulher.
E para tal, vamos compartilhar uma imagem memorável quase todo o elenco, reunido esta semana em uma entrevista com o apresentador Matt Lauer, na qual falaram sobre os bons momentos durante as filmagens e a repercussão do filme até os dias atuais.
Julia Roberts, Richard Gere, Hector Elizondo, Laura San Giacomo e o diretor Garry Marshall, apenas ausente, o ator Jason Alexander.
Uma das maiores comédias-românticas de todos os tempos, senão a maior referência ao gênero, Uma Linda Mulher é mais um daqueles filmes atemporais. Mesmo passados 25 anos de sua produção, continua envolvente e conquistando os fãs do gênero,mesmo com a probabilidade impossível de seu roteiro. Originalmente destinado a ser um conto de advertência sobre a obscura classe de prostituição em Los Angeles, este filme foi remodelada como comédia romântica com um grande orçamento. 
Foi amplamente bem-sucedido nas bilheterias, e se tornou um dos maiores fazedores de dinheiro de 1990.É considerado por muitos críticos como o filme de maior sucesso no gênero.É também um dos filmes mais populares de todos os tempos.Ele viu o maior número de vendas de ingressos nos EUA  para uma comédia romântica.
Inicialmente,o roteiro iria abordar temas polêmicos,como o fato da personagem central ser viciada em drogas,e o acordo dela com o personagem do Gere determinava que ela teria que se abster do vício por uma semana. Foi então que um dos produtores, o Jeffrey Katzberg,  insistiu que o filme deveria ser re-escrito como um conto de fadas moderno com qualidades de uma história de amor, em vez de ser o drama sombrio que foi originalmente desenvolvido como. 
A seleção de elenco também não foi simples.Muitos nomes foram cogitados ou sondados para viver os personagens.Do lado masculino, nomes como Christopher Reeve, Daniel Day Lewis e Denzel Washington, além de Al Pacino.Para a personagem feminina,a seleção foi ainda mais difícil.Antes de chegarem à Roberts,os nomes cogitados foram:Karen Allen,estrela de Caçadores da Arca Perdida,Molly Ringwald, Winona Rider, Jennifer Connely, Meg Ryan, Michelle Pfeiffer e Daryl Hannah,entre outros nomes.
A maioria recusou, ao ler o roteiro, ou por um certo preconceito mesmo com a personagem central. Por fim, surgiu a Julia,então com 21 anos e semi-desconhecida. Mal sabia ela que o filme abriria as portas de Hollywood em definitivo. Contam que o Richard só aceitou fazer o filme após a conhecer e que ela para interpretar a personagem, precisou conviver com garotas de programa verdadeiras. A química entre os dois astros foi instantânea, um completa o outro de forma espontânea e de uma naturalidade poucas vezes vistas nos dias atuais.
Richard Gere se sai muito bem no papel, demonstrando o quanto Edwards é um homem centrado, contido e até mesmo anti-social. O ator ilustra com precisão a lenta mudança no personagem através da forma com que se relaciona com Vivian.Julia Roberts também tem um excelente desempenho. Bastante solta no papel,a atriz convence como uma prostituta que encontra uma chance de ouro de ganhar muito dinheiro, mas que acaba quebrando a regra número um da “profissão”, ao se envolver emocionalmente com seu cliente.

Já o trabalho do Garry Marshall foi fundamental para o sucesso do filme,pois ele soube como ninguém,trabalhar com o roteiro que tinha em mãos e com o elenco talentoso. Conduzido com discrição por Marshall, o longa apresenta uma narrativa leve e descontraída, repleta de momentos bem humorados. Marshall mostra competência especialmente na condução dos atores, extraindo ótimas atuações de seu par romântico. O diretor também demonstra sensibilidade em diversos momentos.
Outro grande atrativo do filme foi a trilha sonora,com duas músicas se destacando:It Must Have Been Love,da banda Roxette.A canção tornou-se um hit imediato e foi executado à exaustão nas rádios do mundo todo,e Oh,Pretty Woman,de Roy Orbison.A trilha foi depois lançada em vinil,com 11 faixas.
Comercialmente o filme foi muito bem sucedido,com orçamento de 14 milhões,ele arrecadou mais de 463 milhões nas bilheterias.Foi também extremamente bem recebido pela crítica especializada.
O desempenho da Julia ainda lhe rendeu uma indicação ao Oscar e ela recebeu o Globo de Ouro de melhor atriz. Ela e Richard voltariam a dividir a cena no fraco Noiva em Fuga,de 1999,também dirigido pelo Marshall, mas o filme não teve o mesmo sucesso desse aqui.




Um grande abraço em todos os amigos e seguidores do Clube do Livro.
Aguardamos sua visita em nosso blog,