[ColaborAutoras] Resenha Internacional: A Desconhecida - Mary Kubica @EditoraPlaneta

Olá Gente linda.

Hoje temos Resenha Internacional de 
A Desconhecida, da autora Mary Kubica!!!

Eu sou a Ingrid, ColaborAutora fofa do Clube do Livro 


A Desconhecida

Ano: 2017 / Páginas: 352
Idioma: português
Editora: Planeta do Brasil



Sinopse

Mais um instigante thriller psicológico da mesma autora de A Garota Perfeita, best-seller do The New York Times Todos os dias, a humanitária Heidi pega o trem suspenso de Chicago e se dirige ao trabalho, uma ONG que atende refugiados e pessoas com dificuldades. Em uma dessas viagens diárias ela se compadece de uma adolescente, que vive zanzando pelas estações com um bebê. É fato que as duas vivem nas ruas e estão sofrendo com a fome, a umidade e o frio intenso que castigam Chicago. Num ímpeto, Heidi resolve acolher Willow, a garota, e Ruby, a criança, em sua casa, provocando incômodo em seu marido e sua filha pré-adolescente. Arredia e taciturna, Willow não se abre e parece esconder algo sério ou estar fugindo de alguém. Mas Heidi segue alheia ao perigo de abrigar uma total estranha em casa. Porém Chris, seu marido, e Zoe, sua filha, têm plena convicção de que Willow é um foco de problemas e se mantêm alertas. Em um crescente de tensão, capítulo após capítulo a verdade é revelada e o leitor irá descobrir quem tem razão.

Mary Kubica


Biografia

Mary Kubica tem bacharelado em Artes pela Universidade de Miami em Oxford, Ohio, em História e Literatura Americana. Ela vive fora de Chicago com o marido e dois filhos e gosta de fotografia, jardinagem e cuidar dos animais em um abrigo local. The Good Girl é seu primeiro romance.

Resenha


Na primeira vez em que Heidi Wood viu Willow, a jovem estava parada na estação de Fullerton, na plataforma do trem, com uma criança no colo. Fazia muito frio e chovia forte. Ela não parecia ter mais de dezesseis anos de idade. 

Heidi sentiu a necessidade de fazer alguma coisa, porém, embarcou no trem como os outros que nada fizeram, deixando a garota e seu bebê sob a chuva. No entanto, aquela cena permaneceu em seus pensamentos. 

Quando voltou para casa naquela noite, Heidi não voltou a vê-la. Ela não contou nada ao marido, Chris, pois certamente não se importaria. Portanto, ajudou sua filha, Zoe, de doze anos, com sua lição de matemática. 




“No dia seguinte, ela está lá de novo. A garota. E mais uma vez está chovendo.”







Heidi hesitou mais uma vez, não querendo parecer intrusiva ou ofensiva. Além do mais, poderia haver um milhão de motivos para que aquela garota estivesse lá com uma mala, segurando um bebê sob a chuva. Entretanto, o pensamento perturbador de que era uma sem-teto mexia profundamente com Heidi, porque trabalhava com pessoas que costumavam ser afetadas pela pobreza, imigrantes na maioria. 



“Sinto-me estremecer enquanto me aproximo da garota. Ela ergue o queixo quando me aproximo e, por meio segundo, nossos olhos se encontram, antes de ela esticar sua xícara e desviar o olhar. Seus olhos estão desgastados, cansados, pessimistas.”


Ela estava pedindo ajuda, mas ainda assim, as pessoas continuavam seguindo seus caminhos sem se importar. Diante disso, Heidi se ofereceu para pagar seu jantar, sendo a primeira pessoa a ser gentil com Willow em muito tempo. 

Durante o jantar, Heidi descobriu que a jovem tinha somente dezoito anos e se chamava, Willow e que sua bebê tinha quatro meses e se chamava, Ruby. O instinto materno falou mais alto e fez com que ela se compadecesse das duas levando-as para sua casa, apesar da relutância de Chris e Zoe, que não gostaram nada de sua atitude. 

Willow era extremamente dura por fora e rebelde. Pouco sabiam sobre ela, seu passado e sua família. Eles não tinham certeza se aquele era seu verdadeiro nome e se Ruby era mesmo sua filha. Mas, Heidi não estava disposta a deixá-las ir. 

Chris tolerava de forma fria aquela situação, enquanto Zoe encarava Willow com hostilidade. Já, Heidi acabou deixando o emprego de lado para dedicar-se as duas hóspedes. No entanto, talvez Willow não fosse tão inocente e imatura quanto levou Heidi a acreditar. 


“Sou oprimida com uma necessidade súbita, uma necessidade humana básica, como comida, abrigo e vestimenta.

Preciso segurar aquela criança em meus braços.”


Um thriller psicológico eletrizante, que aborda assuntos muito importantes. Prendeu-me do início ao fim, inquietando meu coração. Narrado em primeira pessoa intercala entre os pontos de vista dos protagonistas, Heidi, Willow e Chris, algo que eu acho incrível, porque amplia a visão do leitor sobre a história. 

É o primeiro livro da autora que leio e posso afirmar com convicção, que estou apaixonada por sua escrita inteligente, envolvente e meticulosa. Este livro promove uma leitura sensacional, com revelações impressionantes no final.

A capa é ótima. A diagramação é simples e a revisão exemplar. 

Dou cinco estrelas e recomendo para quem procura algo surpreendente!!!

Ingrid M. SNascida em 03 de outubro de 1993, é formada em Design de Moda, mora com o marido em uma cidade pequena e muito pacata no interior de Santa Catarina. Ama escrever desde criança, mas somente em 2014, resolveu publicar algo através do Wattpad.


É sonhadora, criativa, detalhista e muito teimosa, uma viciada em livros e chocolate, simplesmente apaixonada por dias frios e chuvosos. Gosta muito de 
desenhar, assistir comédias românticas e seriados. 



CONTATO: FACEBOOK - SKOOB - WATTPAD  - AMAZON

Gostou dessa postagem??? Quer mais??? Que tal me enviar dicas superlegais sobre seus autores (a) favoritos, livros, séries, filmes, músicas, livros, entre outros assuntos? Deixem suas sugestões nos comentários...

Beijinhos Ingrid






[ColaborAutoras] Resenha Internacional: Crash Livro 1 da Trilogia homônima de Nicole Williams @EditoraPlaneta

Olá Gente linda.

Hoje temos Resenha Internacional de Crash Livro 1 da Trilogia homônima de Nicole Williams!!!

Eu sou a Ingrid, ColaborAutora fofa do Clube do Livro 


Crash

Ano: 2017 / Páginas: 256
Idioma: português
Editora: Essência



Sinopse

Para a adolescente Lucy, nada é mais importante que o balé. A dança a transporta para um mundo onde a dor, as lembranças ruins e a violência não existem. Um mundo só dela. Um dia, porém, aquela garota certinha é obrigada a mudar de escola. E é nesse novo ambiente, repleto de descobertas e Inseguranças, que conhece um garoto que só usa cinza e vive com uma toca de lã na cabeça. Jude, o maior bad boy da escola, é lindo e seria o sonho de toda garota, e talvez até o genro que todo pai pediu a Deus... se não tivesse sido preso várias vezes e não morasse num abrigo para garotos desajustados. Lucy não liga para a opinião dos outros: o mais importante é o que Jude sente por ela. E o rapaz parece disposto a abrir seu coração, ainda que um segredo que assombra o passado e o presente dos dois esteja prestes a estraçalhar essa paixão. “Jude era a doença para a qual eu não via cura. A droga da qual eu não queria me livrar nunca. ” LUCY


Nicole Williams


Biografia

Eu sou uma mulher, uma mãe, uma escritora. Eu comecei a escrever porque eu adorei e eu ainda estou escrevendo porque eu adoro isso. Eu escrevo jovem adulto, porque eu ainda acredito no amor verdadeiro, espíritos afins, e finais felizes. Aqui é para manter-se jovem no coração * levanta * copo de champanhe. . . e se junta a mim?

Resenha




“Até hoje, nunca encontrei ninguém que pudesse chegar aos pés do Príncipe Encantado.”




A adolescente Lucy Larson tinha certeza de que encontraria o Príncipe Encantado do mundo moderno. E, apesar de acharem que era antiquada, tratava-se apenas de uma romântica incurável. 

Nunca havia encontrado alguém que chegasse aos pés do Príncipe Encantado, até que no final daquele verão, enquanto caprichava no bronzeado na praia do Lago Sapphire, algumas semanas antes de começar o último ano na escola nova, Lucy conheceu um Príncipe Gostoso. Ele chegou com vários amigos e ficou jogando bola com eles, enquanto ela o observava atentamente. 


“Eu não sabia o nome dele, não sabia se tinha namorada — e não sabia se queria uma —, mas eu sabia que estava encrencada. Só quando o jogo acabou e ele olhou para mim, pude ter uma ideia do tamanho da encrenca.”


Durante um pequeno acidente, que Lucy acreditava ter sido intencional, ele caiu sobre ela. Então, descobriu que se chamava, Jude Ryder, o qual fez questão de declarar que não namorava, não se envolvia em relacionamentos, não mandava flores e não telefonava, caso não fizesse questão de nada daquilo, talvez pudessem ter alguma coisa. 

Portanto, Lucy armou-se de toda a sua impetuosidade e o dispensou. Isto, porque ele não era apenas um problema, era uma problema com uma pitada de perigo e muita dor de cabeça. 


“Eu não ligava para estereótipos, mas sabia que o caminho de Jude e o meu nunca se cruzariam — a menos que um de nós se rendesse ao outro, literalmente.”


No entanto, apesar de a intuição de Lucy dizer para se afastar o máximo possível de Jude, alguma coisa dentro dela resistia e se recusava a ouvir. Alguma coisa queria Jude em sua vida, independentemente das consequências ou do desfecho da história. 


“... no dia em que meu pai se transformou num introvertido com sérias dificuldades, no limite da loucura, perdi a mulher que costumava colocar na minha lancheira guardanapos de papel assinados com “ mamãe”.”


Houve um tempo em que Lucy e seus pais não se preocupavam com dinheiro, mas, depois que o império comercial de seu pai desmoronou, as economias se foram e coisas como segunda casa e viagem de férias para a Europa se tornaram luxos do passado. A mãe dela era arquiteta e o que ganhava era o suficiente para mantê-los, mas não sobrava nada. Fazia cinco anos que apenas cumpriam a rotina. 

Assim como ela, Jude também precisava lidar com situações difíceis. Ele foi abandonado pela mãe e afastado do pai, logo acabou sendo preso várias vezes e passou a morar em um abrigo para jovens desajustados. 

O maior objetivo da vida de Lucy era se tornar uma bailarina profissional, enquanto o maior objetivo da vida de Jude era sobreviver. Diante disso, para viver um amor impossível, os dois precisariam lutar contra algumas barreiras impostas em seu caminho. Todavia, um segredo devastador pode acabar de uma vez por todas com o que sentem um pelo outro. 


“Os lábios dele tocaram os meus antes que eu pudesse pensar no que havia dito. Eram tão poderosos quanto as mãos, mas igualmente gentis, ao mesmo tempo. Ele os entreabriu, e seu gemido vibrou em meu peito. Sem pensar se devia ou não, passei uma perna por cima dele porque, além de qualquer pensamento racional, eu não conseguia me aproximar dele o suficiente.”


Uma versão moderna de Romeu e Julieta, que envolve paixão e conflitos de forma instigante e arrebatadora. Narrado em primeira pessoa pela perspectiva da protagonista, Lucy, torna a trama ainda mais profunda e intensa. 

A escrita da autora é leve, fluída e ritmada. Os personagens são muito bem construídos. 

A capa é linda, delicada e romântica, remete diretamente ao enredo. A diagramação é fofa e a revisão exemplar. 

Dou cinco estrelas e recomendo para quem ama um bom clichê!!!

Ingrid M. SNascida em 03 de outubro de 1993, é formada em Design de Moda, mora com o marido em uma cidade pequena e muito pacata no interior de Santa Catarina. Ama escrever desde criança, mas somente em 2014, resolveu publicar algo através do Wattpad.


É sonhadora, criativa, detalhista e muito teimosa, uma viciada em livros e chocolate, simplesmente apaixonada por dias frios e chuvosos. Gosta muito de 
desenhar, assistir comédias românticas e seriados. 



CONTATO: FACEBOOK - SKOOB - WATTPAD  - AMAZON

Gostou dessa postagem??? Quer mais??? Que tal me enviar dicas superlegais sobre seus autores (a) favoritos, livros, séries, filmes, músicas, livros, entre outros assuntos? Deixem suas sugestões nos comentários...

Beijinhos Ingrid







[Marcio Zanini 78] Filme Netflix: KIKI



Desejos secretos, reprimidos, recém descobertos podem atormentar uma pessoa. Mais do que isso, podem ser responsáveis por você nunca se sentir bem e pleno. Passando uma vida frustada e amargurado.
Se escondendo, se esquivando e falando pouco. Minguando.
A muito tempo li em algum lugar, algum filósofo, que não vou me lembrar, que disse: 

Os piores problemas da humanidade advém de problemas sexuais maus resolvidos.

Talvez não tenha sido exatamente essa frase, mas deu pra entender rs
Eu acredito nisso. E o caminho para sair desse "buraco" depreciativo que você mesmo se impôs podem surgir de algumas vias.


Aprender as artimanhas para liberar seus desejos sem ser pego ou encontrar alguém que goste das mesma coisa, ou quem sabe alguém que te aceite.
É ai que o mundo volta a brilhar. E como dizia o pequeno príncipe: Era só mais uma pessoa entre tantas outras e eu o transformei em meu amigo.
Kiki, Os segredos do Desejo é um filme que trata sobre esse tema delicado, mas que em algum grau faz parte de todos. Em alguns momentos no filme eles podem exageram para conseguir explicar ou firmar melhor a ideia que querem transmitir, mas isso não tira a graça do enredo em momento algum.

O filme trata do tema de modo descontraído e engraçado. Me peguei rindo em algumas situações que pensei: Porque estou rindo, isso é tenso na verdade, rs
Algumas cenas começam com diálogos confusos que você pensa: Do que esse pessoal esta falando? Mas conforme a conversa e situações vão se desenrolando, você vai entendendo o panorama todo e tudo faz um sentido cativante.



Por falar em cativante. As situações e diálogos se sucedem de tal maneira a te prender que você até esquece de algumas desgraças que aconteceu com alguns personagens e quando volta para aquela situação você até se surpreende: Meu Deus, tinha até esquecido disso. De tão interessantes que se sucede os fatos.
Alguns personagens se destacam mais que outros, mas ainda assim tem para todos os gostos. 
Além disso, os atores estão ótimos e da até para esquecer que eles estão contracenando.
É um filme despretensioso que tem uma mensagem a passar: Aceite-se, encontre alguém que te ama e seja feliz. Ainda assim, pode ser que não agrade a todos.

É um filme que assistiria novamente com o maior gosto. 

Mas já aviso, embora não tenha nenhuma cena explicita, aconselho para maiores de 16 anos pelos temas tratados.

Lembrando que essa é a minha opinião. Talvez você goste ou não. Isso não quer dizer que estou certo e você errado ;)
É uma questão de gosto e momento. :)




Sobre quem escreve a coluna MarcioZanini78:

Marcio Zanini  

mora em Bauru. É o autor Crônicas de Markus, publicado pela Editora Xeque Matte. Escreve e esta constantemente criando histórias desde que se entende por gente. Durante muitos anos trabalhou com Histórias em Quadrinhos em algumas editoras de São Paulo, onde pode colocar em prática sua imaginação. Atualmente compartilha suas ideias e pensamentos através de textos. Ama escrever e é isso que faz na vida.
Redes sociais: Skoob - Facebook

[Marcio Zanini 78] Sidney Sheldon

Talvez você não conheça o autor Sidney Sheldon, mas acredite, vale a pena conhecer.


Sidney Schechtel mais conhecido como Sidney Sheldon, foi um escritor e roteirista norte-americano. Durante sua vida, Sheldon publicou dezoito romances; todos alcançaram a lista de mais vendidos do jornal The New York Times. Eles totalizaram mais de 300 milhões de cópias vendidas, com traduções para 51 idiomas, distribuídos em cerca de 180 países, por esse fato, ele é considerado "o escritor mais traduzido do mundo" pelo Guinness. O escritor também é creditado por 250 roteiros televisivos, seis peças para a Broadway e 25 filmes.

A estreia de Sidney como escritor de romances ocorreu em 1970, quando publicou seu livro A Outra Face. Ele decidiu lançar o suspense como livro por que achou que era muito "psicologicamente variado" para cinema, TV ou palco; a história de um psicólogo que é acusado de assassinato foi vendida para a editora Morrow por mil dólares. A Outra Face foi nomeado "Melhor Livro de Estreia" nos Edgar Allan Poe Award de 1971. Seu segundo livro foi O Outro Lado da Meia-Noite, lançado três anos depois do primeiro; ele alcançou o primeiro lugar na lista de mais vendidos do The New York Times e permaneceu nela por 53 semanas. A partir de então ele passou a dedicar-se aos livros, lançando diversos outros bem sucedidos, como A Ira dos Anjos e Se Houver Amanhã.

Apesar de ter sido bem sucedido em suas vendas, o autor nunca foi aprovado pela crítica, que publicava resenhas geralmente depreciativas. Várias de suas obras foram adaptadas para séries ou filmes, muitas vezes tendo o autor como produtor.


Sheldon geralmente colocava mulheres como personagens principais de seus livros. Ele afirmou, em uma entrevista para a Associated Press em 1982, que gostava "de escrever sobre mulheres que são talentosas e capazes, mas o mais importante, mantêm sua feminilidade. As mulheres têm um poder tremendo - a sua feminilidade, porque os homens não podem fazer sem isso". Muitos de seus personagens masculinos eram "malévolos" e "impiedosos". Os romances eram escritos com elevado grau de suspense e sensualidade, e costumavam contar com elementos como fama, fortuna, intrigas, assassinatos, desaparecimentos e vinganças. Ele comentou que tentava escrever seus livros "de uma maneira que os leitores não pudessem largá-lo. Construí-los de um jeito que o leitor termina um capítulo e tem que ler mais um". Sidney acreditava que não podia "enganar o leitor", por isso, sempre que descrevia algum lugar visitado por seus personagens, havia estado nele.

O autor tinha o costume de contar a história oralmente para que sua secretária a digitasse ou usar um gravador, completando em média 50 páginas por dia. No dia seguinte, ele fazia a revisão do que havia feito no dia anterior e repetia o processo até que o livro estivesse finalizado. Então ele fazia diversas revisões da obra, podendo passar até um ano até liberar para ser publicado.

Considerado um workaholic, ele trabalhou em diversas áreas, mas afirmou que escrever livros era a sua favorita: "Eu amo escrever livros. Filmes são uma mídia colaborativa, mas quando você cria um livro, está fazendo sozinho. É uma liberdade que não existe em nenhuma outra mídia".
Sheldon sofreu de transtorno bipolar, chegando a tentar o suicídio aos 17 anos. Ele faleceu em 30 de janeiro de 2007, aos 89 anos, devido a complicações causadas por uma pneumonia.

Sidney Sheldon vende tanto que continua assim mesmo depois de sua morte, seus escritos inacabados continuam ganhando vida com a ajuda de Tilly Bagshawe, escritora que emula com habilidade o estilo inconfundível de Sheldon.

Opinião Pessoal

Sidney Sheldon é um dos autores, junto com Irwing Wallace, que me fez amar livros e decidir que era isso que queria fazer da vida, criar histórias adultas, ousadas e que prende-se o leitor do começo ao fim. Ambos foram e são uma inspiração até hoje em minha vida. Sempre estou relendo livros ou trechos que gosto. Aprendo com cada detalhe, cada maneira de contar um pensamento ou surpreender o leitor. 
Sidney Sheldon é leitura obrigatória a todo fã de livros e principalmente a todos que vivem da escrita.
Nunca será um desperdício ler qualquer livro do autor. Todos são incríveis. Bem construídos e arrebatadores. Seus livros podem ser adquiridos em várias livrarias espalhadas pelo país e nas lojas virtuais. 

Fontes: wikipedia




[Resenha Nacional -2017] Desejo de Justiça - V. Totta

Olá, queridos leitores.
Confesso que a cada dia fico mega feliz com meu Kindle e com minha conta no Amazon (gente eu nunca sei se é no ou na Amazon. Esclareçam-me, por favor). Bem, voltando ao assunto, resolvi deixar temporariamente os livros físicos de lado para ler alguns das centenas de eBooks que compro ou baixo gratuitamente. Normalmente, no Kindle, opto por autores estrangeiros, já que a grande maioria dos meus livros físicos é nacional.  Entretanto, contudo, porém, todavia, dessa vez, optei por leitura nacional.  Após analisar algumas sinopses, resolvi aceitar o convite da autora Val Totta, feito na sinopse do livro Desejo de Justiça (”... Te convido a embarcar nessa história e, junto com os irmãos, buscar a verdade e a justiça...”). Convite aceito. Então, venham conhecer se foi proveitoso e agradável eu ter aceitado o convite da autora.
Vamos embarcar nessa história? 


Desejo de Justiça – V.   Totta 

Formato: eBook Kindle
Páginas: 377
Idioma: Português
ASIN: B01779TAOI

Sinopse

Após sua família ser brutalmente destruída, Gabriel Goulart e seu irmão Guilherme prometeram, diante do túmulo do pai que seriam homens de bem e justos. E assim o fizeram. Guilherme se torna um grande advogado respeitado e Gabriel o mais jovem, eficiente, implacável e determinado investigador da cidade de Curitiba. Quando um crime hediondo assola a cidade, Gabriel assume o caso e rapidamente chega ao assassino. Porém, o que jamais poderia esperar é que o irmão assumisse a defesa da acusada. Enquanto Guilherme acredita na inocência de sua cliente, Gabriel está disposto a tudo para provar que Monique é uma loba em pele de cordeiro. Te convido a embarcar nessa história e, junto com os irmãos, buscar a verdade e a justiça. Independente dos sentimentos envolvidos. 


Adquira o eBook clicando na imagem abaixo:



Sobre a Autora

V. Totta, mais conhecida como Val, nasceu em fevereiro de 1981, no estado do Rio de Janeiro.
Aos doze anos, na sexta série, leu seu primeiro livro para uma prova da escola “O caso da borboleta Atíria” E depois disso leu muitos outros livros. De “Sabrina” a Best Sellers.
Tomou como ídolo o autor Sidney Sheldon, autor de muitos livros maravilhosos. Um dos livros preferidos por ela do autor é “Se Houver Amanhã”.
Hoje é mãe, esposa e escritora em tempo integral.
Sempre pensou em escrever. Sempre teve muitas ideias. Mas demorou muito a pôr esse sonho em prática. Hoje ela tem quatro livros publicados de forma independente, além do livro Desejo de Justiça.
Sabe quando as pessoas dizem que nasceram pra fazer alguma coisa?
Val Totta costuma dizer que nasceu pra escrever. 
Resolveu que ser escritora é o que ama fazer e pretende continuar até o dia que Deus permitir.



                                                                         
               

Obras de  Val Totta




RESENHA

Fabiana Veiga, menina loira, olhos azuis e brilhantes, filha de pais ricos. Monique Pillar, morena de cabelos negros, pobre e sem amigos. Fabiana e Monique se conheceram na infância. Sempre que Fabiana se encontrava com Monique sorria para ela, mas Monique não lhe retribuía o sorriso porque não acreditava que aquela menina bonita e rica quisesse fazer a amizade com ela. Certo dia aconteceu uma festa na praça onde Monique e sua mãe vendiam churros. Fabiana passou pela barraca de Monique sorrindo simpaticamente para ela e se afastou. Logo em seguida, Monique ouviu de umas meninas que passavam por sua barraca que iriam acertar as contas com Fabiana por ela se achar mais importante que elas. Monique, então, saiu em busca de Fabiana e conseguiu escondê-la antes que as meninas que estavam armadas de paus e pedras a alcançassem. Fabiana, apavorada, percebeu que Monique havia salvado sua vida e deu-lhe um abraço apertado. A partir daquele dia tornaram-se melhores amigas.
Aos dezessete anos Fabiana perdeu os pais herdando toda a fortuna deles. Com a perda dos pais, Fabiana foi para Curitiba e convidou Monique para ir com ela. Monique não aceitou por medo de morar numa cidade grande. Fabiana partiu, mas as duas sempre se mantiveram em contato, fosse por telefone, email, carta ou bate papo. Quando Monique completou 21 anos Fabiana foi visitar a amiga. Passou alguns dias em sua casa e, ao retornar a Curitiba, Fabiana convenceu Monique a morar com ela em Curitiba para que pudesse cursar uma faculdade, crescer profissionalmente e ter condições de ajudar seus pais. E, assim, Monique foi morar com a amiga em Curitiba.
 Os irmãos Gabriel e Guilherme Goulart, apesar de serem parecidos fisicamente tinham temperamentos diferentes. Gabriel era o explosivo, o revoltado, o brigão. Guilherme era o menino calmo, amoroso, pacifista.
Na infância Gabriel defendia o irmão com unhas e dentes. O pai dos meninos, Sérgio Goulart, foi assassinado em casa, na frente da família, por um agiota, que foi cobrar-lhe uma dívida que ele não conseguira pagar. Na época do assassinato do pai, Gabriel tinha quinze anos e Guilherme doze. A morte violenta do pai provocou reações diferentes nos filhos. Gabriel passou a chegar cada vez mais tarde, passando o máximo de tempo possível fora de casa. Já Guilherme se tornou ainda mais caseiro, sempre fazendo companhia à mãe deles e ajudando nas tarefas domésticas. No enterro do pai os irmãos abraçaram-se e juraram que se tornariam homens de bem e cumpridores da lei. Guilherme se tornou um renomado e respeitado advogado e Gabriel um eficiente e determinado investigador.
A confiança, a harmonia e a amizade dos irmãos foram abaladas na juventude. Gabriel conheceu Laura quando fazia o Segundo Grau. Estudaram juntos para o Vestibular, passaram para a mesma faculdade de Direito e passaram a namorar. Gabriel decidiu que não queria prosseguir com a faculdade de Direito, pois queria ser policial. A partir dessa decisão o namoro dos dois passou a ter problemas, mas, apesar das constantes brigas, ficaram noivos.  Alguns períodos mais tarde Guilherme passou para a faculdade e ficou mais próximo de Laura. Certa noite, quando Gabriel foi ao dormitório do irmão para contar-lhe que havia marcado a data do casamento com Laura, se deparou com a noiva nua, deitada na cama do irmão, ao lado dele. Enquanto Guilherme jurava ao irmão que não tinha acontecido nada entre ele e Laura, ela confirmava que os dois estavam se relacionando. Pelo que entendi, a cena foi uma armação de Laura, que passou a demonstrar interesse por Guilherme, pois os dois tinham o mesmo objetivo profissional.
Bem, diante da suposta cena de traição, Gabriel agrediu verbal e fisicamente Guilherme e os dois ficaram dois anos sem se falarem até que, a mãe deles adoeceu, e eles, para cuidarem da mãe, não tiveram outra saída e voltaram a se falar. Entretanto, depois do episódio do dormitório, o relacionamento entre os dois nunca mais foi o mesmo.
Na continuidade da história, os irmãos continuam sem muito contato pessoal e emocional e exercendo brilhantemente suas funções profissionais. Fabiana é brutalmente assassinada.  O bárbaro assassinato de Fabiana coloca Monique na vida dos dois. Monique é presa e a história ganha força e toma novos rumos, pois, enquanto todas as evidências apontam Monique como a assassina de Fabiana e Gabriel se empenha em provar sua culpa para fazê-la pagar por seu crime, Guilherme se apresenta como seu advogado e fará todo o possível para fazer justiça, provando sua inocência.
Bem, minha gente, se eu não me policiar vou acabar entregando o livro todo, então, vou me focar em fornecer minhas impressões sobre a obra e a autora.
Desejo de Justiça traz uma combinação perfeita de romance, policial investigativo e suspense de tirar o fôlego. Val Totta fugiu dos temas convencionais e desenvolveu um enredo original, envolvente, com reviravoltas chocantes e inesperadas, deixando o leitor mergulhado na leitura até a última linha da história. O leitor se vê “dentro” de um cenário de muita ação e emoção. Ação, ao acompanhar as trajetórias do investigador e do advogado que vão se deparar com uma série de obstáculos e revelações intrigantes, perigosas e imprevisíveis até a elucidação do crime e, emoção, com Monique, que enfrentará uma série de perigos, dilemas pessoais, sentimentais, pistas forjadas com a finalidade de incriminá-la, além de ter que lidar com a angústia e o desejo de conhecer o que realmente aconteceu com sua melhor amiga e quem a assassinou de maneira tão cruel. Gabriel e Guilherme são os personagens mais fofos do mundo e fica difícil escolher por quem torcer para ter o “happy end” com Monique.
Os personagens construídos pela autora são perfeitos para o desenvolvimento da trama. Todos, sem exceção, são carismáticos e cumprem, com eficiência e objetividade, o papel que lhes foram destinados no enredo. Não posso deixar de comentar, também, sobre a impressionante capacidade narrativa e descritiva da autora que torna quase palpável as cenas, os ambientes, os diálogos e sentimentos por ela descritos.
Val Totta, aceitei seu convite para embarcar nessa história e a viagem foi simplesmente maravilhosa. Ainda não tinha tido o prazer de ler nenhum título seu, mas, com certeza, você me conquistou. Espero, sinceramente, que muito em breve, eu consiga algum tempo (meu grande obstáculo literário) para embarcar em outra “viagem” produzida por você.
Quanto aos nossos leitores, posso garantir que “Desejo de Justiça” tem enredo e elementos para agradar aos adeptos de todos os gêneros. Tem romance e sensualidade na dosagem exata. Tem suspense e muita ação policial investigativa que produz grande carga de adrenalina no leitor. É um suspense perturbador e um romance arrebatador.
 Li, gostei e recomendo


E então, pessoal? Gostaram da resenha, do enredo? Já leram esse ou outro livro da autora?
Comentem. Seus comentários serão sempre muito bem-vindos.
 Beijos e até a próxima.


Créditos:
Resenha: Vanda Costa
Diagramação: Vanda Costa
Dados bibliográficos: Tirados da Internet
Imagens: Tiradas da Internet