Postagem em destaque

[Promoção Mães Leitoras] com Rô Mierling e blogs parceiros (serão 7 ganhadores!)

Olá queridos leitores! Em comemoração ao Dias das Mães , a escritora Rô Mierling e blogs parceiros se reuniram para presentea...

[Nasce um pai] Capítulo inteirinho do livo S.O.S Mamãe de primeira viagem

 Oiiiee! Sim, é isso mesmo! Um capítulo inteirinho  do livro S.O.S Mamãe de primeira viagem (Autora Amanda Bonatti), para você ler neste dia dos pais!! As ilustrações são da Cibelle Reis. Confira e não esqueça de comentar.


NASCE UM PAI



Não é somente a mulher que transforma-se com a gravidez e com a chegada de um filho. O homem também muda, nasce o pai dentro dele exatamente no dia em que o seu filho nasce.
Tive nove meses para sentir-me mãe, senti o bebê chutar, tive os hormônios completamente bagunçados, senti os enjoos, o sono e a fome exagerada, mas, e o pai?
Ele acompanhou tudo de perto, viu meu corpo mudar, sentiu com suas mãos em minha barriga como o nosso filho chutava forte, sofreu com as minhas mudanças de humor, ajudou-me a sanar os meus desejos de grávida, esteve sempre perto.
Mas de repente o filho nasce, e aí? É hora de colocar em prática as coisas que aprendeu no cursinho para pais gestantes?
Vivemos em uma sociedade, em que na maioria das vezes as pessoas acham estranho um pai interessar-se demais pelos filhos e pelos cuidados com um bebê, as pessoas julgam ser responsabilidade da mãe.
Acho isso tudo uma bobagem, agradeci por meu esposo ser um ótimo papai desde os primeiros dias. Mas ele ficou tão bobo, que pensou mesmo que nosso filho era de cristal. Parecia que queria protegê-lo de todo e qualquer mal, ficou protetor em dose elevada.
Pensei que em qualquer momento me diria:
- Olha, você passou os nove meses com ele aí na sua barriga, agora vou ficar mais nove meses com ele no colo.
Foi preciso dar uns toques para que parasse de ser tão neurótico, as visitas e todos da família perceberam como sentia ciúmes do nosso filho. Ninguém mais podia falar alto ou em tom normal, tinha que ser cochichando, até mesmo se nosso filho estava acordado, ele fazia “shhhh” pra quem elevasse um pouco a voz. - Era engraçado.
No entanto, desde os primeiros dias foi participativo, aventurou-se, assumiu responsabilidades, foi ao mercado, fez as compras, colaborou nos serviços da casa e nos deu muito amor.
E isso tudo, fez-me muito bem. De madrugada, a qualquer chorinho e mexidinha, ele já estava de pé na beirada do berço, junto comigo, para ver o que havia acontecido, pegava no colo e ninava. Ele só não queria que desse chupeta para nosso filho, pois era contra chupetas.
Mas um pai também sabe voltar atrás em algumas decisões, e em um dia de desespero - nosso e do nosso filho -  ele acabou cedendo e dando a chupeta para tentar acalmar o choro que não parava com nada.
Depois que nosso filho acalmou ele guardou a chupeta e disse que não voltaríamos a usá-la, só se fosse muito necessário, só se fosse muito de vez em quando, só se fosse apenas para dormir, e por fim, só enquanto ele não completasse dois anos de vida. - É, pais de primeira viagem recorrem a truques e segredos que antes abominavam.
Mas posso dizer que meu marido é um paizão, sempre atento e preocupado, carinhoso e presente, prestativo, daqueles que coloca a mão na massa.
Um bom pai não é aquele que ajuda, pois ajudar sugere que está fazendo um favor, dando uma mão, em algo que na verdade não seria a sua obrigação. Um bom pai é aquele que percebe o que está acontecendo a sua volta e gosta de participar, de estar junto.
Claro, que em algumas situações ele se sentia deslocado, mas isso foi somente no início, pois logo aprendeu a trocar fraldas e dar banho, aliás, ele quem deu o banho no primeiro mês, até que eu pudesse começar a pegar um pouco de peso, ele fazia com muito carinho e cuidado, nosso filho divertia-se no banho com o papai, com as suas caretas e vozes engraçadas.
Enquanto estava no trabalho, telefonava ou mandava mensagens para saber se estava tudo bem, se precisávamos de alguma coisa e pedia-me para bater fotos de tudo o que nosso filho estivesse fazendo, para depois enviar para ele.
Eu batia fotos, filmava e depois enviava. Sabia que ele estava no trabalho, mas louco para chegar em casa e dar mais um cheirinho em nosso príncipe.
Quando saíamos para passear, meu esposo ia todo orgulhoso, segurando nosso filho e até empurrando o carrinho de bebê, dando aquele simpático sorriso para outros pais que passavam por nós com os seus bebês. Ele comprou a primeira bola de futebol para nosso filho quando ainda não tinha nem dois meses de idade.
Apresentou o mar e aprendeu a cantar algumas músicas de ninar, e mesmo que a maioria fosse apenas repetir o refrão ou inventar partes da música, ele conseguia fazer nosso filho se acalmar e adormecer.
Disse para meu esposo que ele parecia um daqueles cangurus que carregam o filhote dentro de uma bolsa, pois queria o nosso filho sempre agarradinho, perto dele.
O amor de um pai é coisa linda de ver, acho lindo quando meu esposo faz o nosso filho dormir em cima da sua barriga, bem juntinhos, quando o nosso filho se mexe em cima de sua barriga, digo “olha amor, era assim que ele fazia quando estava dentro de mim”.

Nota: Uma Carta do papai:
“Incrível o encanto em sentir pela primeira vez a emoção de ser pai. Recebi este presente com amor verdadeiro e compartilho com a mamãe cada carinho, apertar, cheirar, brincar, ensinar a comer, trocar fraldas, tudo o que traz a magia do amor dentro da nossa família.
Quero sempre ver você como uma vida em construção, adjacente à  verdade, humildade e simplicidade. Sejas feliz junto de tudo que construir”.


Com amor, Papai.

UM FELIZ DIA DOS PAIS, COM AMOR
Amanda Bonatti

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Algumas regrinhas:

. Terminantemente proibido qualquer manifestação preconceituosa, racista, homofóbica e etc.. Respeito em primeiro lugar sempre.
. É claro que se você me seguir, eu vou lhe seguir, só dizer que seguiu no comentário e colocar seu link (não só segui me segue de volta, ok?)

Obrigada por comentar... a sua presença é muito importante para nós.

Volte sempre ^^

Clubenetes.