Postagem em destaque

[Promoção Mães Leitoras] com Rô Mierling e blogs parceiros (serão 7 ganhadores!)

Olá queridos leitores! Em comemoração ao Dias das Mães , a escritora Rô Mierling e blogs parceiros se reuniram para presentea...

[Resenha Nacional] Beco da Ilusão - Mallery Calgára

Olá gente!

Faz algum tempo que ouvi pela primeira vez a menção do título beco da ilusão, minha amiga disse que só tinha boas avaliações no skoob que era um livro sobre a guerra, e eu sou louca por livros que tenham como temática a segunda guerra mundial.

Então, um dia, eis que ele fica de graça na amazon, e eu fui pegar para ler...
um dia e meio depois, estava lido e eu arrasada, pareceu uma bomba me dilacerando, com uma escrita esmagadora, intensa e...

Vamos parar por aqui e ir logo pra resenha, né?!



Beco da Ilusão # 1- Mallerey Cálgara

Ano: 2015
Páginas: 280
Idioma: português
Editora: Independente
SKOOB
Meu nome é Sarah Wainness, mas este nem sempre foi o meu nome. É apenas mais um, entre tantos que já tive. Minha infância foi feliz e simples, como de qualquer criança da minha idade e do meu bairro em Karnobat, Bulgária.
Éramos uma família de cinco irmãos, incluindo eu.
Papai, um homem muito bom, enérgico e religioso, frequentava a sinagoga, enquanto mamãe trabalhava em casa, cuidando de tudo e de todos nós.

Após recebermos uma herança de um tio falecido que morava em Berlim, mudamos para lá e, ao chegar, deparei-me com uma realidade totalmente diferente da que eu conhecia.
Passei a ter vários sonhos, após meu primeiro contato com a cidade. Um deles, tive que manter em segredo, que era ser bailarina. Sempre pegava as roupas da mamãe escondida e ficava rodopiando no fundo do quintal, vendo tudo ao meu redor mudar e, assim, mantinha-me feliz, até o dia que uma visão que tive desmoronou meus sonhos e mudou completamente a minha vida; os nazistas invadiram nossa casa e fui levada para um lugar de prostituição.
Meu nome é Sarah Wainness, e já morei no Beco da Ilusão.
Compre AQUI

SOBRE A AUTORA:


MALLERY CÁLGARA

Nasci no interior de Minas Gerais, Carmo do Cajuru, sob o signo de Aquário. Aos quatro anos mudei-me para Belo Horizonte,onde moro até hoje.Sou leitora voraz desde os cinco anos quando aprendi a ler com uma de minhas irmãs.Por volta dos meus nove anos,meu livro de paixão era O Pequeno Príncipe,de Antoine Saint-Exupéry,que considero ter marcado minha vida.Cursei a faculdade de psicologia e acrescentei em minha lista escritores consagrados como Dante, Sartre, Freud, dentre outros.Trabalhei na aviação alguns anos como comissária de bordo.Participo de projetos ligados a proteção de animais e mantenho em minha residência um abrigo para cães e gatos com minha filha.Sou possuidora de grande imaginação e fui incentivada por minha família a colocar no papel minhas ideias, de onde nasceram as obras de ficção Beco da Ilusão, O Segredo da Caveira de Cristal e Anjo Negro,sendo este último minha primeira publicação.
RESENHA


O livro é uma ficção, mas poderia tranquilamente ser verdadeiro principalmente por soar tão intensa como foi a escrita da autora, ela escreveu em primeira pessoa e nos faz viajar através do tempo e da história.
O livro começa com Sarah (Yidich) no momento presente já com uma idade avançada, indo assistir apresentação de ballet da sua neta, entre o abrir e o fechar das cortinas ela vai relembrando toda história de sua vida desde a infância até aquele momento.

O silêncio que passa a imperar no ar é cortado apenas pelo som das cortinas do meu pensamento sendo erguidas. O espetáculo começa... São minhas lembranças... Minha vida!

Yidishi é uma menina feliz que se muda com sua família para Berlim quando pai recebe de herança uma gráfica, a família toda vê na mudança uma oportunidade de mudar de vida, menos a mãe que é contra, parecia prever algo errado.
Junto com a personagem vamos percebendo as primeiras mudanças, ela criança começa acompanhar tudo com olhar inocente junto aos seus inseparáveis amigos Anton e Erdmann. Já nas primeiras semanas em Berlim Yidich se apaixona pelo ballet e começa com sonhos infantis de um dia vir a ser uma grande bailarina.

Com vinte milhões de pessoas em filas de alimento e seis milhões desempregadas, era tentador e animador ser chamado de raça superior, como ele pregava.

Anos depois, ela já com seus Doze anos juntamente com seus amigos tramam para que ela possam assistir a uma das apresentações, mas infelizmente são descobertos e isso faz com que seu pai a afaste de seus amigos, então sua única companhia vira o rádio, onde ela acompanha cada mudança de clima até a chegada da temível guerra.

Roubaram-nos a liberdade de expressão tornando-nos fantoches na mão do estado. Não podíamos falar, nem escrever aquilo que pensávamos. Não podíamos ter uma opinião, ou pelo menos, ela não poderia se tornar pública, existindo apenas na nossa mente.

Claro que a Guerra chega e por ser judia a sua família começa ficar cada vez mais apreensivo, alguns vizinhos são presos, outros "somem" misteriosamente, dentre os sumidos o pai de Anton, então ele e sua mãe se mudam para casa da família de Yidich, Anton por ser alemão e Yidich por ser diferente da família e mais parecida com o povo alemão acabam incumbidos de procurar sustento quando os judeus são proibidos de entrarem em estabelecimentos alemães. Em uma dessas saídas para a busca de alimento Yidich é reconhecida como judia, e é salva por Anton que promete jamais deixar ninguém à machucar.

Por diversas vezes ele me disse que eu não era só a sua melhor amiga, eu era a sua única amiga, uma irmã. Que eu não deveria me preocupar, que enquanto ele estivesse respirando, iria me proteger de qualquer um que me ameaçasse, alemão ou não.

O horror da guerra um dia vem bater à porta da família, e todos são presos e levados pela SS, inclusive Anton. À partir daí acompanhamos a terrível trajetória da jovem sendo sempre submetida as mais terríveis situações, longe de toda família ela se apega ao amor infantil por Erdmann, o balé e amizade de Anton, para não sucumbir ela imagina que um dia os reencontrará.

Olhava para eles e não conseguia ver seus rostos, apenas escutava suas risadas me amedrontando mais. O medo fez com que eu não conseguisse chorar, nem gritar, apenas pensar friamente que não era um dia bom para se morrer!

A vida de Yidish se transforma em um poço de incertezas, sua vida está nas mãos do destino.... E pelas mãos de um improvável salvador ela se vê com seu destino sendo decidido sem fazer ideia do será feito dela ou de sua família.
A guerra revela faces onde o bem e o mal vestem a mesma farda.


Minha opinião...


“Você não derrota um inimigo tirando sua coragem. Você o derrota tirando sua esperança.” – Adolf Hitler –

Não consigo descrever direito meus sentimentos por esse livro, aliás o que disse ali em cima não chega aos pés do que é a história, a história é riquíssima, cheia de detalhes sobre a guerra, um show de pesquisa histórica.
A autora mergulha no âmago da personagem e nos faz ver através de suas palavras todo o terror da época histórica mais conturbada da atualidade, onde conhecemos o mal em sua face encarnada que atendia por nome de Adolph Hitler.

Estava vestida aos trapos, o rosto magro e desgastado, nem parecia comigo. “Será que eu estaria ali, em algum lugar debaixo daquela imagem?”, questionava-me. Chocada, desviei o olhar e o fixei no chão por um instante, procurando mentalmente convencer minha alma a não mais habitar este corpo, abandonar todas as tralhas da alma para trás e fugir rapidamente com a água que escorria pelo ralo, indo o mais longe possível.

O livro é estarrecedor de tão verídico, tão doloroso como uma ferida recém aberta, eu por várias vezes me emocionei, e o mais chocante é que tudo poderia ter sido real. A autora soube nos situar na época, na cena e a personagem tornou se tão real que parecia ela mesma a narrar. Os medos, o fio de esperança e os sentimentos eram sentidos todos a cada parágrafo.

Os sons noturnos eram sempre os mesmos: gritos, gemidos de dor, choros engolidos, enquanto que as lágrimas secas tentavam desesperadamente lavar a alma corroída pela revolta, onde vozes se calavam em desespero. Tudo ali tinha o gosto amargo da dor. As horas, os dias, os meses, só tristeza!

Eu li o ebook como disse anteriormente, a revisão está impecável, a autora teve todo cuidado de colocar as referências e traduções, tiveram inclusive frases em alemão para dar mais autenticidade a narração.
Estou encantada de essa obra de nacional, essa autora merece uma salva de palmas de pé, pelo belíssimo enredo, pesquisa e escrita impecável.
Quem assim como eu gosta de mergulhar em livros com romances dramáticos e com alto teor histórico não pode perder esse livro maravilhoso que ganhou o lugar entre meus favoritos!

Parabéns Mallery pelo belíssimo trabalho de pesquisa histórica, pela obra tão bem escrita e cativante.
Espero ler muitos livros seus!




Assista o Book Trailer


Gostaram? Não esqueçam de comentar!
Beijocas e até mais!

Giuliana

9 comentários:

  1. Ai meu Deus! Que resenha mais linda!

    Super sem palavras para descrever a minha felicidade ao ler que você gostou do meu trabalho. Foi um livro escrito com muito sofrimento e lágrimas devido as intensas pesquisas que fiz, mas valeu passar por tudo isso.

    Muito, muito obrigada pelo carinho e apoio!

    ResponderExcluir
  2. Adorei muitooooooooo esse livro! Me prendeu do início ao fim e dei cinco estrelas no skoob porque merece muito!! Nacional mais uma vez de qualidade! Parabéns pela resenha e parabéns à autora pelo livro muito bem escrito!

    ResponderExcluir
  3. Esse tipo de história sempre me agrada muito e desde que fiquei sabendo sobre esse livro eu morro de vontade de ler. Parece ser uma história intensa e muito rica em detalhes, quero ler ainda esse ano, o mais rápido possível.

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Adorei esse livro! Li outras resenhas, mas nenhuma tão completa como a sua. Vendo assim pela capa, eu não leria, por achar bem simples, agora sabendo da história, leria com certeza, mesmo a capa, pra mim, não condizendo com a história. Leria já sofrendo com os personagens, que, mesmo sendo ficção, sabemos que tem um fundo de verdade.

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Nossa, que premissa!
    Desde que vc comecou a falar desse livro que estou curiosa e agora lendo a resenha, ele entrou definitivamente para a lista de desejados.
    Cara, já fiquei imaginando o final aqui!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Esse livro se tornou o meu predileto deste ano com louvor! Merecia muito mais que 5 estrelas nas avaliações do skoob, não só pela pesquisa, mas pela simplicidade de escrita que o tornou tão fluido e realista. Mallarey está mesmo de parabéns por uma obra tão primorosa! E sua resenha ficou linda! Fez muito jus ao que o livro traz. Beijos, amiga!!!

    ResponderExcluir
  7. Oi Giu!
    Eu também amo livros sobre a Segunda Guerra Mundial e por isso estou sempre de olho nesse livro, não acredito que ele estava disponível na Amazon, será que ainda dá tempo? Acompanho a Mallery nas redes sociais e morro de vontade de conhecer o trabalho dela melhor.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Olá flor, que resenha incrível, não conhecia a obra mas já me interessei. A premissa é ótima e fiquei bastante curiosa. Abraços

    ResponderExcluir
  9. Este livro possui uma temática profunda, muito bem trabalhada pela autora. A linguagem também é de fácil compreensão e a história se desenrola de forma que quando você vê já terminou e você está em lágrimas.

    Ótimo livro!

    ResponderExcluir


Algumas regrinhas:

. Terminantemente proibido qualquer manifestação preconceituosa, racista, homofóbica e etc.. Respeito em primeiro lugar sempre.
. É claro que se você me seguir, eu vou lhe seguir, só dizer que seguiu no comentário e colocar seu link (não só segui me segue de volta, ok?)

Obrigada por comentar... a sua presença é muito importante para nós.

Volte sempre ^^

Clubenetes.