[Campanha Lacrymosa na Darkside] Dia 03 Entrevista Ju Daglio


Hoje é mais um dia de campanha #LacrymosanaDarkSide e dessa vez o pedido vem com uma super entrevista com nossa Lady Dark Juliana Daglio a rainha do bagulho todo!


A mulher é lacradora demais, abre seus olhos #DarkSide publica logo essa mulher que é sucesso garantido!







BATE PAPO TREVOSO


1- Keverson Luan De onde veio a ideia para Lacrymosa?


Juliana Daglio Lacrymosa surgiu de um sonho. hahahah
Estava dormindo tranquilamente, quando surgiu no meu mais sublime pesadelo, o demônio que estrela a vilania da trama. Ele me disse o nome dele (que não posso revelar, porque é spoiler), e estava possuindo uma garotinha, como no prólogo no livro. Quando conversei com minha amiga, Helena Dias, sobre o tal sonho, ela me disse que no ocultismo realmente existiam um demônio com esse nome. Fui pesquisar, e lá estava boa parte do enredo do livro. <3
A parte da história da Valery veio depois, quando estava ouvindo a canção de Mozart e fiquei empolgada com a mesma. Fui dar uma olhada na letra e a ideia me pegou de jeito, como se sempre estivesse ali, me esperando.



2- Luan Jonathan Como se sente quando senta para escrever Lacrymosa? Tem algo junto com você ali? 😋


Juliana Daglio Olhaaa! Vou te contar... Teve um dia que estava escrevendo uma das cenas mais assustadoras do livro, e eu juro que ouvi vozes me chamando hahahahaha.
Falando sério agora (mas é verdade), eu sou bem cética com essas coisas sobrenaturais, apesar de me interessar muito pelo assunto e adorar tudo o que é de terror, então eu acredito que essas ideias, apesar das coincidências, são fruto de muito consumo do gênero e meus estudos que explicam a origem da fé na mente humana. 

3- Tatii Gonsales Fez bastantes pesquisas pra escrever Lacrymosa?


Juliana Daglio Muitas mesmo!!
Passei meses só pesquisando antes de começar. Estudei bases do cristianismo, ocultismo, hierarquia do vaticano, demonologia e muitas coisas mais hahahha.


4- Tatii Gonsales Os personagens falam com você? So pra constar acho isso o máximo kkk 

Juliana Daglio Sim!! Uma técnica criativa que sempre funciona é falar com os personagens em voz alta. Sempre que estou sozinha em casa eu mergulho na mente das minhas V´s e vou montando cenas, falando através delas como se fossem amigos imaginários. Aprendi esse recurso ainda criança, e ele nunca saiu de mim.
Recomendo. Não é loucura. Juro.


5- Lari Patricio Você ouviu vozes enquanto escrevia? Teve medo alguma vez?

Juliana Daglio Ouvi! Numa das cenas mais tensas do livro, eu estava muito submersa no conteúdo. Fechei os olhos e pensei nos filmes de exorcismo que eu tinha visto, no som das vozes, em como devia ser o cheiro, a textura da pele... Então coloquei o dedo pra escrever uma fala, já com ela pronta, e ouvi um sussurro chamando meu nome. Abanei a cabeça e respirei fundo... Tentei novamente e voltei a ouvir.
Minha mente foi poderosa na hora de criar meus próprios fantasmas. Eu meio que me hipnotizei hahahahha.


6- Giuliana Sperandio Como foi o processo de construção personalidade de cada personagem?

Juliana Daglio Foi algo sistemático. Primeiro tive a ideia para a Valery. Passeis uns dias conversando com ela, imaginando as roupas, os trejeitos, o som da voz, o vocabulário. Aí dela veio o Chas, e da relação que pensei para os dois, fui construindo a personalidade dele. Também com a Valery veio o Oz, que antes era mais secundário e foi ganhando forma na medida que eu escrevia.

7- Giuliana Sperandio Quais são suas influências nesse gênero?

Juliana Daglio Stephen King e Andrew Pyper.
Tenho outras influências fortes, como Poe, Lovecrafth, até mesmo Zafón, que se tem temáticas bem darks, mas nesse livro em especifico, quis me espelhar nesses dois autores como principais. Um dia eu chego no dedinho de um deles. 


8- Giuliana Sperandio Os seus trabalhos são bem diferentes entre si, terror, drama e fantasia, qual deles foi mais fácil escrever, e porquê?

Juliana Daglio Apesar de parecerem diferentes, eles tem muito em comum. A coisa de submergir na alma da personagem e elucidar o lado obscuro delas. Todas as V´s tem suas sombras, e é sobre essas sombras que procuro narrar. 
Não sei dizer qual foi mais fácil, porque em cada um tive um tipo de dificuldade diferente, e um prazer diferente também. Acho que todos foram difíceis e prazerosos na mesma medida, então não consigo diferenciar.


9- Larissa Escuer Vemos uma Valery, como uma personagem forte e que esconde seu passado, qual foi sua maior inspiração para ela?

Juliana Daglio Acho que uma personagem em quem pensei muito durante a crianção da Valery foi a Emily Thorne, de Revenge. Valery não busca vingança, mas como a Emily ela se tornou fria e forte, resistente a ceder aos sentimentos porque eles as enfraquecem em suas missões. :D


10- Luan Jonathan Você já ficou com medo de dormir, após trabalhar em Lacrymosa?

Juliana Daglio Por incrível que pareça, não. Hahahaha
Eu até acho isso estranho, porque costumo ficar sem dormir quando vejo filmes de terror. Acho que o fato que me tranquiliza, é ter total controle sobre os demônios que eu criei.


11- Luan Jonathan Você se vê em algum personagem que criou em Lacrymosa, tipo assim, aquele que mais tem você?

Juliana Daglio Esse é o primeiro livro que posso dizer que não. Todos os personagens foram criados do zero, milimetrados para influenciar uns aos outros, mas não me espelhei em nenhum dessa fez. 
Já em Uma Canção para a Libélula...


12- Sabrina Oliveira Ju, se você pudesse escolher passar algum tempo em uma viagem em qualquer lugar do mundo só pra escrever e se inspirar, qual lugar seria?
Juliana Daglio Hell´s Kitchen, NY. Esse bairro de Manhattan é minha inspiração para compor Darkville. Se eu pudesse passar uns dias lá, escreveria loucamente e sem parar hahahhaha.

13- Keverson Luan Como foi que você elaborou os demônios? E quais outras criaturas do mal podemos esperar?

Juliana Daglio Eu li muito sobre demonologia e ocultismo. Peguei os demônios da bíblia e fiz uma varredura nos exorcismos relatados pela igreja católica, percebendo que muito dos registros ocultistas tinham fatorem em comum com eles. Tenho uma amiga entendida do assunto que me deu um aparato maravilhoso, e me ajudou na identidade de um dos demônios da trama. 
Além deles, podem bruxos e caçadores sobrenaturais. :D


14- Keverson Luan Como é que você elaborou a cidade, os bairros e os locais? E principalmente... o barzinho, de onde surgiu?

Juliana Daglio Para criar o ambiente de Darkville, me inspirei nos cenários da série Demolidor. Fiz uma pesquisa sobre Hell´s Kitchen com fotos, vídeos e textos sobre o bairro, e partindo disso fui visualizando a cidade. 
O Joker é um lugar que mistura o bar que Matt e Fog frequentam na série, com o Fangtasia de True Blood, mais minha experiência com Pub´s onde eu vou para ouvir Rock quietinha no meu canto. Normalmente lugares mais rústicos, frequentados por poucas pessoas.





Apoiem essa campanha espalhando as Hashtags:
#LacrymosanaDarkside e #JuDaglionaDarkSide

Beijos e até amanhã!

~Giu~



Nenhum comentário:

Postar um comentário


Algumas regrinhas:

. Terminantemente proibido qualquer manifestação preconceituosa, racista, homofóbica e etc.. Respeito em primeiro lugar sempre.
. É claro que se você me seguir, eu vou lhe seguir, só dizer que seguiu no comentário e colocar seu link (não só segui me segue de volta, ok?)

Obrigada por comentar... a sua presença é muito importante para nós.

Volte sempre ^^

Clubenetes.