[Parceria] Resenha x Entrevista: Aníur - Esther Moratto!!!

Olá Gente linda.

Hoje temos Resenha x Entrevista: Aníur - Esther Moratto!!!

Eu sou a Ingrid, ColaborAutora fofa do Clube do Livro.


Aníur



Sinopse

Jake e Meg são jovens recém-casados e teriam um belo futuro pela frente. Mas não contavam com uma grande catástrofe, que poderia acabar com suas vidas. Um terremoto abalou a cidade em que vivem e uma doença misteriosa surgiu logo após o incidente. Será que isso seria o fim do mundo? Descubra nesta história agoniante, que te prenderá do começo ao fim.




Esther Moratto


Biografia


Esther Moratto, tem 20 anos, é de São Paulo, estuda Publicidade e Propaganda, tem um blog chamado The Moratto e uma de suas paixões é a leitura. Por muito tempo não se considerava escritora, mas quando senti sufocada por uma história, decidiu escrever e dividir com outras pessoas. “Foi algo que surgiu como uma explosão de ideias já formadas que viraram a história Aníur e meu segundo livro Vampiro”



Resenha



Aníur, o contrário de Ruína, conta a história de um jovem casal recém-casado, Jake e Meg, que apesar da relutância da mãe dele contra esse casamento, eles não se deixam abalar e completamente apaixonados o realizaram, com muito esforço, batalhando para comprar um apartamento e tudo acaba sendo mais do que perfeito. 



Entretanto, quando Jake viaja a trabalho, na cidade de Growe onde moram, acontece um grande desastre, separando-os por dias intermináveis. Logo que o avião pousa, de volta para casa, ao saber do ocorrido, ele sai a procura de Meg, com a esperança de que ela tivesse sobrevivido. Ambos enfrentando situações horríveis e chocantes. 


Há um mistério relacionado à verdadeira razão para aquela tragédia ter ocorrido e os sobreviventes tentam de tudo para descobrir. A desgraça acaba fazendo com que enxerguem o mundo de forma diferente. 

Meg acorda em um abrigo, na quadra de um colégio, onde conhece Monica e Cris e junta-se a elas, quando um vírus fatal ataca os demais. 

"Parei de pensar no que estava ao meu redor e lembrei do rosto de Jake no dia do nosso casamento. Tinha que ser forte para encontrá-lo e conseguir rever minha família."


Uma história composta por cenas fortes que provocam um sentimento angustiante associado ao medo, fazendo com que o leitor sinta o que os personagens sentem. Tem toques de romance, mas tudo na medida certa, impactando o leitor desde a primeira frase.


"— Não sei qual será a reação dele quando vir que nossos apartamento está destruído, por incrível que pareça, não fui eu a culpada por deixar o gás ligado.
Não queria chorar na frente deles, por isso achei melhor fazê-los rir."

Os personagens são impressionantes. O livro me surpreendeu do início ao fim, indo além das minhas expectativas, principalmente por ter um final alternativo. 

A capa é linda, a sinopse me deixou curiosa, a diagramação é minuciosa, assim como a revisão. Uma edição muito bem desenvolvida, com qualidade, um trabalho meticuloso, criativo com um resultado incrível.


A narrativa é em primeira pessoa e intercala entre a visão da Meg, Jake e Zou um dos sobreviventes que perdeu a família, disposto a arriscar-se para salvar os outros. Descrevendo os acontecimentos de forma muito real, eu me senti perdida em meio ao caos tentando encontrar uma saída, com os nervos à flor da pele.


A escrita da autora é detalhada e profunda, trazendo um misto de sentimentos e emoções ao leitor, ansiosa para ler seus próximos livros. 

Foi uma leitura rápida e deliciosa. Dou cinco estrelas e recomendo!


Entrevista

Entrevista Esther Moratto
Por Ingrid M.S
Blog Clube do Livro e Amigos



  1. Como começou sua carreira de escritora?

Olha até hoje não me considero escritora (risos), mas comecei a escrever Aníur aos 16 anos e só publiquei com 20 anos. Demorei para acreditar em meu potencial e que minha obra que antes era só um rascunho no Wattpad poderia ganhar vida em um livro físico.

  1. Como surgiu a ideia para escrever Aníur?

Sempre gostei de filmes e séries de tragédia e eventos sobrenaturais. Como na época tinha medo de filmes de terror, não conseguiria escrever algo assustador, por isso veio a ideia do terremoto e sonhando acordada os personagens cresceram em meus pensamentos e decidi coloca-los no papel (computador). Depois fluiu naturalmente as ideias.

  1. Como foi desenvolver cenas tão tensas?

Influência dos filmes e minha mente fértil, não foi difícil. Confesso que quando escrevia me imaginava na cena, sentia a dor e me imaginava no lugar do personagem. Mas era uma grande catástrofe, era preciso um pouco de cenas fortes.

  1. O que te inspirou para criar os personagens? Com qual deles você mais se identifica?

Os personagens foi uma grande mistura de tudo que gostei na adolescência, e me identifico mais com a Cris. Sabe aquela história de se apegar aos coadjuvantes? Então nesse livro todos os personagens têm sua importância e tenho carinho por eles, mas a Cris é uma garota que acabou de sair da cidade para uma viagem com os amigos, é estilosa, tem o cabelo rosa e quando menos imagina uma catástrofe acontece em uma cidade em que não conhece nada. Isso é bem a minha cara (risos). Estar perdida em situações completamente inesperadas.

  1. Como é publicar com uma editora como a Young?

É algo intenso, inesperado e a realização de um sonho que nem sabia que existia. Como alguns autores já relataram a Young foi e está sendo um grande presente. Hoje além de autora sou editora chefe da Young e me sinto completamente realizada pela grande conquista e busco junto com a equipe elevar a leitura nacional e mudar a estética do livro. Ao infinito e além! Haha.  

  1. Pensa em escrever uma continuação e/ou algum outro livro relacionado a essa história?

Para Aníur não. Já comentei com alguns leitores e blogueiros que até daria para puxar uma continuação, mas como criei Aníur com a cabeça de adolescente, não teria mais os mesmos sentimentos para buscar a história dentro de mim. O que penso em relação é de fazer um conto sobre de onde surgiu a doença ou alguns capítulos extras sobre o mesmo assunto para a 2ª edição do livro.

  1. Em quanto tempo você escreveu Aníur? Como foi esse processo de escrita, você segue um roteiro e faz metas?

Hoje em dia sim, sigo roteiro e metas. Com Aníur foram 4 anos de aceitação da história, de escrever um capitulo fechar o word, esquecer da história e depois sem querer abrir o arquivo e me surpreender com o que eu escrevi. E assim foi surgindo a história até que publiquei alguns capítulos no site da Nyah! Fanfiction e depois de um elogio da história, publiquei no wattpad. Não teve outra, deu certo, a história criou raízes e cresceu sozinha.

  1. Qual seu gênero literário favorito? Tem algum específico que você gostaria de se desafiar a escrever, mesmo que não tenha nada a ver com o que está acostumada?

Como comentei, gosto muito de suspense, sobrenatural, distopias e afins. Um desafio seria escrever um grande romance de época, acredito que fugiria completamente do que costumo pensar e sonhar acordada.

  1. Tem novos projetos em andamento? Fale sobre eles, estamos curiosos para saber.

Tenho sim! Antes mesmo de terminar Aníur já veio a ideia de Vamprio. Que já está no wattpad e pretendo terminar ainda esse ano. Isso mesmo Vamprio. Muitos acham que é um erro de digitação (risos), porque ao ler parece que deveria estar escrito vampiro. Pois bem. Essa foi a inspiração. Os vampiros. Como sou muito fã da criatividade, diga se de passagem, usei como inspiração os albinos + vampiros. Onde surgiu os vamprios. Bom não posso dizer sobre eles em geral porque seria spoiler, mas posso contar sobre a personagem principal. Uma garota de pele branca, fora do normal, cabelo e olhos brancos. Assim como os albinos, que para quem não sabe albinismo é uma condição causada pela deficiência na produção de melanina. Pessoas com esse problema são muito brancas e, dependendo do grau, apresentam alterações até mesmo na cor dos olhos e dos cabelos. Sabendo dessa informação e lembrando que os primeiros vampiros que se viu em filmes e em histórias de terror, eles queimam no sol, trocam o dia pela noite e se alimentam de sangue humano. Pronto. Tá aí de onde e como criei os vamprios. Hehe.  A história é de uma linda garota, totalmente branca, que é encontrada se afogando em um rio perto de uma aldeia de humanos. Criada e educada por um bom tempo por eles, sempre se perguntou o que tem de estranho com ela. Será que seu passado e sua origem vão falar mais alto? Isso vocês vão ter que descobrir. Nessa história, tem romance, mistério, e um toque de terror (só um pouquinho). Gosto de originalidade e inventar coisas (risos). Espero que gostem desse mundo que saltou da minha mente criativa e que se surpreendam com vamprio. 


10. Deixe uma mensagem especial para seus leitores e para os escritores que estão começando.



Primeira coisa mais importante: Acredite em você! Se você não acreditar quem vai acreditar? Seja criativo e inove na história, persista e nunca, nunca desista.  Aos leitores só tenho à agradecer! Obrigada pelo carinho e apoio de vocês e dos queridos blogueiros. Vocês são a motivação para que eu continue escrevendo e acreditando! Muito obrigada equipe Clube do Livro e Amigos pela oportunidade e entrevista. Confesso que dei pequenos surtos de alegria aqui por essa entrevista. Amei! Um grande beijo a todos e obrigada pelo carinho.


Book Trailer





Ingrid M. SNascida em 03 de outubro de 1993, é formada em Design de Moda, mora com o marido em uma cidade pequena e muito pacata no interior de Santa Catarina. Ama escrever desde criança, mas somente em 2014, resolveu publicar algo através do Wattpad.


É sonhadora, criativa, detalhista e muito teimosa, uma viciada em livros e chocolate, simplesmente apaixonada por dias frios e chuvosos. Gosta muito de 
desenhar, assistir comédias românticas e seriados. 



CONTATO: SITE  - FACEBOOK -  GRUPO NO FACEBOOK - SKOOB - WATTPAD  - AMAZON

Gostou dessa postagem??? Quer mais??? Que tal me enviar dicas superlegais sobre seus autores (a) favoritos, livros, séries, filmes, músicas, livros, entre outros assuntos? Deixem suas sugestões nos comentários...

Beijinhos Ingrid


4 comentários:

  1. Olá,
    Esse livro parece ser bem intenso, só via primeiras impressões e é a primeira vez que leio a resenha.
    Imagino como foi complicado para o casal e essa tragédia foi bem marcante.
    Parabéns para autora que conseguiu construir essa história ainda na sua adolescência.
    Sucesso para a autora e que venha novos livros.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Amei a entrevista,estou louca por esse livro, espero poder adquiri-lo em breve. Parabéns pela resenha, despertou ainda mais a minha vontade de ler o livro.

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho muita curiosidade para ler esse livro, parece ser muito bom e só escuto bons comentários, mas ao contrário de você, eu não acho essa capa bonita e se fosse só por ela eu não leria e perderia uma grande história, acho que poderia ser melhor trabalhada para o tanto que a história merece. Achei legal a autora ter falado que não pretende escrever a continuação por ter escrito com a cabeça de uma adolescente e gostei de saber que para a segunda edição talvez ela coloque capítulos extras ou contos.

    ResponderExcluir
  4. Olá, adorei esse post...essa obra parece ser muito boa, estou doida para ler <3

    Super beijo

    ResponderExcluir


Algumas regrinhas:

. Terminantemente proibido qualquer manifestação preconceituosa, racista, homofóbica e etc.. Respeito em primeiro lugar sempre.
. É claro que se você me seguir, eu vou lhe seguir, só dizer que seguiu no comentário e colocar seu link (não só segui me segue de volta, ok?)

Obrigada por comentar... a sua presença é muito importante para nós.

Volte sempre ^^

Clubenetes.