Postagem em destaque

[Promoção Mães Leitoras] com Rô Mierling e blogs parceiros (serão 7 ganhadores!)

Olá queridos leitores! Em comemoração ao Dias das Mães , a escritora Rô Mierling e blogs parceiros se reuniram para presentea...

[Resenha Nacional] Clér - Pablo Madeira



Olá,  Clubenautas. Tudo bem com vocês? Hoje é véspera de natal, um dia lindo onde em várias lugares do mundo se comemora o nascimento de Cristo.

Então, eu  vou começar essa resenha com um bate papo franco? Uma conversa para tentar de uma vez por todas explicar o conceito do respeito.
Nada mais justo, afinal Jesus Nunca Pregou o ódio e sim o amor! Ele que ensinou que DEVE AMAR AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO... Acho que muitos hoje em dia esquecem dessa frase, mesmo que você não tenha religião, Jesus foi um grande exemplo a ser seguido, suas palavras eram lições de amor, perdão e compaixão.

Clér é um romance/drama cujo tema principal é  homossexualidade e os assuntos abordados são aceitação, amor, respeito e o preconceito. 

Preconceito essa palavrinha venenosa que assola nossa sociedade e que rotula e marginaliza pessoas de bem apenas por serem diferentes. Essas pessoas que discriminam e disseminam o ódio travestido com falsas máscaras religiosas. Eles sempre julgam sem entender e usam a palavra de Deus de uma maneira totalmente distorcida. Se existe ou não um Deus, Ele, com certeza, pregaria o amor e não o ódio, e jamais concordaria com tamanha maldade.

Eu sou amiga de inúmeras pessoas que são gays ,lésbicas e bissexuais assumidos. Geralmente são pessoas maravilhosas e muito longe de serem satanistas, hereges e promíscuas como ouço taxarem por aí. Cada uma delas carrega no coração o desejo universal de tentar ser feliz, isso é inerente e é direito de todos nós, então, qual é o problema das pessoas viverem suas vidas como lhes convém e faz bem? 
Se essas pessoas não fazem mal a ninguém, o que a sociedade tem a ver com as suas opções de sexualidade? Por que as pessoas precisam ser iguais ou ter um padrão para serem aceitas? 

São tantas perguntas sem resposta, sem explicação e sem sentido...
Cada ser é único (isso parece piegas, mas é a mais pura verdade). Viver é uma experiência única onde cada qual terá apenas a sua vida para tentar encontrar a felicidade através de erros e acertos, mas aprendendo caindo e levantando. 

Então por que diabos usar um tempo que já é curto e viver uma vida recheada de mentiras para tentar se encaixar em uma sociedade falida de amor em respeito ao próximo?



Como já foi dito pela querida Pitty...
" o importante é ser você, mesmo que seja bizarro." (ou no caso pareçamos bizarros) 



 CLÉR - Pablo Madeira







ISBN-13: 9788566754728
ISBN-10: 8566754727
Ano: 2015 / Páginas: 156
Idioma: português 
Editora: Deuses


Sinopse: A decisão de sair da casa dos seus pais e ir morar com a sua tia em outra cidade foi necessária para Rodrigo. O jovem não suportava mais conviver com os problemas alcoólicos de seu pai e ser feliz era algo que não podia mais ser adiado. Se assumir homossexual não era uma das escolhas mais fáceis, já que seu pai sempre dizia que jamais teria um filho gay. Além das novas amizades e do primeiro emprego, Rodrigo irá sentir pela primeira vez o tão falado “amor à primeira vista” ao conhecer o jovem Clér. Mas nem tudo é o que parece e Rodrigo vai aprender que o preconceito pode existir em qualquer lugar e que, por esse motivo, às vezes precisamos guardar alguns segredos. 




Com uma escrita leve, o autor nos mostra de maneira direta uma realidade vivida por muitos. Uma história para rir e chorar. Impossível parar de ler.






Agora, sim, vou para a resenha. Precisava de um desabafo. Ufa!!! Estou bem mais leve!

Clér - Pablo Madeira


O livro Clér conta história de Rodrigo, um rapaz gay que vive em uma situação familiar complicada. Seu pai, alcoólatra homofóbico, destrata e agride verbal e fisicamente o filho e a mãe.
A mãe de Rodrigo 
é subjugada, impassível e passa por situações humilhantes. Por ver que sua mãe está fadada a auto-destruição em uma relação doentia, Rodrigo decide se mudar às vésperas do Natal para uma cidadezinha interiorana, junto de sua tia viúva, irmã de sua mãe. Lá, sua tia o acolhe por suas convicções e escolha, respeita sua sexualidade com apoio incondicional que ele não teve em casa.

Em sua nova cidade, Rodrigo, que era antes um rapaz reprimido, acaba desabrochando  para a vida e começa a enxergar novas amizades. Ele conhece um jovem casal Rebelde que vão abrindo os olhos e o coração de Rodrigo para um mundo onde a opinião alheia não importa. Alguns dias se passam e Rodrigo e a tia recebem um convite para passar o Natal na casa de uma amiga da sua tia. Lá, ele conhece Fabiana, Camila e Clér. 

Clér é um rapaz bem diferente, e isso desperta curiosidade e interesse por parte de Rodrigo.
"Ele era lindo - perfeito, na falta de alguma palavra que encaixasse - mas mesmo assim ainda achei pouco. ele tinha os olhos tão azuis que me lembrou o mais bonito oceano; um sorriso torto que parecia debochar de tudo e todos ao redor e o seu cabelo era cacheado num tom dourado - Ele parecia um anjo." Pág 36 
É nesse momento que começaram as incertezas e os sentimentos de Rodrigo por Clér. 
Clér, por sua vez, é um lindo rapaz descontraído que parece ter um relacionamento com Camila.
Os conflitos emocionais dessa situação irão levar Rodrigo e Clér a um redemoinho dramático, onde o preconceito e a falta de atitude farão com que os destinos deles sejam irremediavelmente traçados.



 "Estou feliz. Mas dizem que a felicidade é um estado de espirito que vem e passa. Se for verdade, quero aproveitar ao máximo." Pág 53


Nem toda história de amor fala apenas de belos sentimentos...
o posso contar nada mais da história sem dar spoiler, então, para descobrir você terá que ler.

Minhas impressões finais


Clér foi um livro que me surpreendeu positivamente. Ele é fino, com 156 páginas, mas com uma carga considerável de reflexões. 
Por falar nisso, a capa do livro é linda e cabe perfeitamente com a história. Parabéns a designer Helena Dias por nos transmitir esse sentimento visual. As páginas são amarelas e o tamanho da fonte é bom para leitura. Não vou falar em erros de revisão, porque são mínimos e também porque essa parte didática não é minha praia...

Enfim, li o livro em poucas horas (talvez duas ou três). A leitura flui natural e espontânea. O autor soube nos colocar na perspectiva do jovem com tantas dúvidas, esperanças e medos, e nos fez sentir um pouco do preconceito que a sociedade impõe para quem teme ter a coragem de se assumir.



 "Viver é estar feliz consigo mesmo e aprender a dar valor às coisas simples. Viver é amar, rezar, cantar, comer, beber e dançar. Viver é ser você. Viver é nada mais do que estar em paz." Pág 78

 Eu sorri e me emocionei com o decorrer da história de amor e dor de Rodrigo e Clér, mas torço para que  leituras desse tipo possam fazer mais pessoas refletirem de que temos que mudar nossa sociedade e seus conceitos, para que não hajam mais violência e discriminação contra gays lésbicas travestis e bissexuais, seja elas de forma física ou verbal.


 "Amor à primeira vista é algo que pode acontecer com qualquer pessoa, em qualquer tempo e lugar. O problema é quando o seu cupido erra o endereço." Pág 119

Você se colocar no lugar do outro, ter empatia.  Esse é o princípio para que possamos viver em uma sociedade mais justa. Você não precisa ser simpatizante, mas você tem que respeitar o próximo, seja ele quem for.

Parabéns, Pablo pelo livro maravilhoso que me deu oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a realidade de tantos jovens por aí, inclusive de meus próprios amigos.

Recomendo essa leitura com coração e mente aberta para todos que desejam enxergar além das lentes cor-de-rosa dos romances de finais felizes.

Beijos, e quem gostou e quer saber mais sobre o autor, acesse a entrevista que fizemos com ele AQUI

PLAYLIST CLÉR




Snapchat: pablo.madeira

Então é isso amores. Gostaram?
Não esqueçam de deixar um alô nos comentários.
Open Your Mind e leia sem preconceitos.
Beijocas!

15 comentários:

  1. Oiee ^^
    Que capa linda ♥ eu ainda não conhecia esse livro, mas fiquei curiosa para ler, principalmente porque amo um bom romance que vem com uma dose grande de emoções. Aaah, "Take me to church" ♥ uma das minhas músicas favoritas, não enjoei nem mesmo quando ela virou meu despertador...haha'
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br/2015/12/prepare-se-para-chegada-da-5-onda.html

    ResponderExcluir
  2. A capa é linda e o tema é bem interessante, mesmo sendo curtinho deu pra ver que te emocionou. Adorei a resenha. Beijo

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Realmente a capa esta muito bonita, e realmente ainda temos muito ranço na sociedade mundial, não é nossa exclusividade, torço muito para que um dia os romances com homossexuais não precisem utilizar o preconceito como fonte de conflito para seu enredo.

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas realmente o tema é bem interessante. Não sei se seria um livro que escolheria em uma livraria, mas pelos elogios na resenha eu pensaria em ler. Sem contar que ele é bem curtinho né?
    O preconceito realmente é um tem bem polêmico e confuso da nossa sociedade. Que bom que curtiu o livro.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. É mesmo uma capa muito bonita! Gostei muito da sua iniciativa de se posicionar contra o preconceito. Não conhecia o livro, mas a sua resenha fez com que eu me interessasse profundamente pela leitura da obra. Acho que precisamos de leituras que nos proporcionem uma revisão de nosso conceitos (em alguns casos, preconceitos). Acho que quando entramos em contato com os sentimentos de pessoas como os personagens Clér e Rodrigo, exercitamos a nossa capacidade de empatia. Certamente lerei o livro. Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  6. Pelo título e a capa eu nunca imaginaria que era um livro com essa temática. Gostei de saber da coragem do autor em escrevê-lo.
    Não leria não por preconceito, mas porque teria dificuldade pra resenhar e não colocar um mega desabafo igual ao seu.
    Parabéns a você e ao autor.
    Beijocas, Mari Scotti

    ResponderExcluir
  7. Olha o livro pelo jeito aborda um tema bastante polêmico, principalmente para a sociedade de hoje em dia sabe? Eu acho bem legal falar desses temas para abrir a mente das pessoas, porque realmente existe ainda muito preconceito e falta de respeito com o próximo mesmo.

    Eu sinceramente sempre aprendi que homem deve ficar com mulher e vice e versa, mas depois as coisas foram mudando e sinceramente não é nem questão de aceitar ou não. É o jeito que a pessoa cresce sabendo o que é certo, mas eu sinceramente RESPEITO A DECISÃO dessas pessoas que optam a ficar juntos por amor, até porque não estão fazendo mal pra ninguém, apenas se gostam e querem viver juntas. Tudo bem. Eu posso não aceitar isso pra minha vida, mas eu respeito e MUITO essas pessoas, até porque como tu disse, cada um é cada um e cada um vive da maneira que quer. A gente tem mais é que respeitar e não fazer pouco caso disso. Eu nunca tive amigos gays, mas eu acho pessoas bem divertidas, até porque no salão onde frequenta tem e tipo, são super gente boa. Pessoas normais como a gente e tipo, sem grilo sabe? Eu acho muito legal a ideia do livro e com certeza acho que irei ler para poder refletir mais sobre o assunto.

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/12/turma-da-monica-historia-de-natal.html

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Realmente achei essa capa lindíssima. Pelo que entendi, o livro trata de um tema bem polêmico, o que me atrai bastante. Acho que a escrita é um grande meio de passar lições e ajudar as pessoas a irem abrindo cada vez mais a mente para o novo. Já li livros que tratam esse tema e é sempre muito difícil falar sobre eles sem começar a desabafar e escrever todas as opiniões que temos sobre o assunto. Lerei esse livro com certeza.

    Beijos,
    Andy!

    ResponderExcluir
  9. Giuuuuuu *-* Estou sem palavras para expressar o que estou sentindo com essa resenha MARAVILHOSA! Tudo muito perfeito :D Muuuuuuuito obrigado!

    ResponderExcluir
  10. Olá,

    A capa do livro está super caprichada, adorei! Não costumo ler livros GLS, e nem é por preconceito, pois para mim toda forma de amor é válida, mas é por não ter o hábito de ler livros do gênero, os livros que leio sempre tem algum gay e tal, mas nunca como principal - com exceção de Will & Will (único livro do gênero que li) - sempre como secundários.
    Achei a premissa do livro bem interessante e já anotei aqui para futuramente poder ler.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá

    Gostei muito do seu post.
    É impressionante como em pleno século xxi temos tantos pessoas intolerantes.
    Realmente adorei suas impressões sobre Cler. Apesar de fino, traz uma enorme carga de sentimentos e reflexões.
    Não conhecia, mas fiquei curiosa.
    Ótima dica. Lindo post.


    Beijos
    Rizia - www.livroterapias.com

    ResponderExcluir
  12. oie,
    primeira vez que vejo a respeito desse livro e apesar de não saber se um dia o lerei fiquei feliz em conhecê-lo, pois é algo bem diferente de que estou acostumada.
    Parabéns pela resenha

    Beijos da Fê
    As Catarina´s

    ResponderExcluir
  13. Oi Giuli, sua linda, tudo bem
    Nós somos todos seres humanos, e como tais deveríamos nos respeitar. O que esse pai fez foi imperdoável, foi cruel. Ele maltrata, violenta física e psicologicamente a família dele. E o motivo pelo o qual ele faz isso, torna tudo pior. Nenhum ser humano merece ser tratado dessa forma. É uma pena que isso ainda aconteça, me deixa muito triste. Parece ser uma obra importante para discutirmos algo que deve ser mudado. Gostei muito da sua resenha!!!
    Um Feliz Natal atrasado, que sua noite tenha sido mágica ao lado das pessoas que ama.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Olá!!!
    Não conhecia o livro mas confesso que fiquei impressionada com a essência do livro e a forma que o tema foi abordado. A resenha passa ser uma história emocionante de envolvente e que nos faz refletir e se livrar de alguns estigmas desnecessários. Parabéns pelo post, está muito bonito.

    Carla Fernanda

    ResponderExcluir
  15. Olá :)
    Eu amo livro que fazem reflexões acerca de aspectos da vida, seja quais forem. Quando se fala em homofobia eu só consigo me perguntar como as pessoas podem julgar tanto o sentimento mais bonito do mundo que é o amor.
    A história bem interessante, é para se parar e pensar sobre diversas atitudes que tomamos no dia.
    Take me to curch é sensacional. Esse clipe me mata cada vez que o vejo.

    Beijocas,
    http://www.segredosentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir


Algumas regrinhas:

. Terminantemente proibido qualquer manifestação preconceituosa, racista, homofóbica e etc.. Respeito em primeiro lugar sempre.
. É claro que se você me seguir, eu vou lhe seguir, só dizer que seguiu no comentário e colocar seu link (não só segui me segue de volta, ok?)

Obrigada por comentar... a sua presença é muito importante para nós.

Volte sempre ^^

Clubenetes.