[Crônicas da Fê] Sobre ser Mulher - Fê Friederick Jhones

Olá Clubenautas, estamos com vários posts especiai, pois um dia é pouco para homenagear a força e a garra das Mulheres.
Hoje é dia de Crônicas da Fê, mas dessa vez ela vem falar um pouco "Sobre ser Mulher" de uma forma deliciosa e reflexiva.
Perdeu nossas postagens especiais?? Clique AQUI e veja todas que nós tivemos até agora, mas fique ligados que até final do mês tem muito mais...

Sem enrolação fiquem com mais um super texto da querida Fê!

Sobre ser mulher...


Valerie é uma profissional de sucesso, mas sua vida amorosa é um desastre. Anitta sofreu com problemas familiares e teve grandes perdas. Celina precisou encarar um câncer e encontrar novas cores para sua vida. Bruna fez a escolha difícil de ter um filho sem nenhum apoio. Amanda decidiu lutar pelo casamento ao invés de abandonar tudo.
Essas mulheres são personagens de livros, mas podem ser qualquer uma de nós. Você pode ser uma Valerie, conhecer uma Bruna ou ter uma mãe como Celina. Mulheres com fortalezas e fragilidades, com contradições tão imensas que nem mesmo podem dizer que se conhecem por completo. Mulheres que mudam ou que permanecem. Que se casam ou escolhem ficar solteiras. Que querem loucamente ser mãe, ou que entendem não terem nascido para isso. Mulheres, apenas mulheres de todas as formas, de qualquer jeito.
Não se pode entender uma mulher, não por ela ser complicada, mas por ela ser várias em apenas uma. Em pleno século XXI, espera-se que a mulher se desdobre sendo esposa, mãe, dona de casa, profissional, gostosa, segura, saudável, otimista e uma lista interminável. Mas e se ela não quiser? E se no plano de vida de uma mulher não estiver cuidar da casa? Ela nunca seria menos mulher por isso. Do outro lado, estão aquelas que querem fazer exatamente isso: cuidar da casa, do marido e dos filhos, nada de trabalhos fora de casa. E daí? Ela é retrógrada por isso? Não! Ela é mulher.
Hoje comemoramos o Dia Internacional da Mulher porque houve um tempo em que não tínhamos muitas escolhas. Não podíamos votar. Não podíamos trabalhar fora de casa. Não podíamos decidir sobre nosso futuro. Tínhamos nosso valor diminuído e nossa capacidade questionada. Hoje muita coisa mudou, mas ainda há pelo que lutar. Ainda há um ranço machista que tenta permanecer em nossa rotina e em nossas falas, mas mesmo assim hoje eu posso me alegrar pelo que conquistamos até aqui. E o principal foi algo maravilhoso: conquistamos o direito de escolher.
Escolher as causas que queremos lutar. Escolher casar ou não. Ter filhos ou não. Cuidar da casa ou não. Trabalhar fora ou não. Ter voz ou nos calar. O poder da escolha é a maior benção de sermos mulheres do século XXI. Que possamos enxergar as infinitas possibilidades à nossa frente, que possamos levantar a cabeça e escolher o futuro que queremos.

Amo ser mulher. Amo não precisar definir em apenas uma palavra o que é ser mulher. E que todas as minhas contradições falem por mim, quando tudo ao meu redor for silêncio. Que as Valeries mantenham a fé no amor. Que as Anittas encontrem suas segundas chances. Que as Celinas usem as cores que quiserem. Que as Brunas sustentem suas escolhas. Que as Amandas saibam com quais armas lutar pelo que acreditam.



E que eu e você sejamos as mulheres que ousamos sonhar. Escolha, todo dia é seu, faça dele o que quiser!


ColaborAutora Fê Friederick Jhones
Eu sou uma apaixonada por histórias e pessoas, minha primeira escolha então foi a Psicologia, as palavras sempre fazendo meu mundo ter mais sentido, palavra cantada, escrita, falada, eu amo qualquer tipo de arte. Sou uma boba que chora com dramas de amor, amo finais felizes e clichês românticos, gosto de torcer por personagens que só existem na minha imaginação e passo horas em mundos variados, criando-os ou conhecendo-os pela voz de outros. Escrevo porque preciso e não saberia viver sem isso, artigos, reflexões, frases, contos, poesias, romances, todos os meus pedaços que dou ao mundo. Sou mãe de uma lady peluda que se chama Belle e tenho um marido lindo chamado Deivid Jhones, de quem roubei o sobrenome. Nasci na terra do acarajé, mas moro na cidade do bolo de rolo. Prazer, eu sou a Fê!

Contato nas Redes Sociais com a Autora:

FACEBOOK -  WATTPAD -  TWITTER - SKOOB -  SITE TDL -  COMPRE AQUI  

 Gostou???

Comente e nos faça felizes!!!


Beijos Fê Jhones




Está rolando um sorteio bem legal!!
Venham Participar!!
2 kits do lançamento "Pérolas de minha surdez" da autora Nuccia De Cicco , como os da imagem!
Clique AQUI que será redirecionado para o post do sorteio.
E Boa Sorte!!!

8 comentários:

  1. Linda crônica, Fê.
    Parabéns!
    JM

    ResponderExcluir
  2. Linda crônica, Fê.
    Parabéns!
    JM

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    A autora Fernanda sempre arrasando!!! A crônica disse muita coisa legal e eu amor ser mulher!!!
    Uma escolha que tive por ser mulher foi ter filho. Meu marido não queria e eu queria muito, fiz até algo errado rs. Parei com os anticoncepcionais e não falei nada com ele, depois de 4 meses estava grávida e não me arrependo.
    beijos e parabéns

    ResponderExcluir
  4. Super concordo com a Fê. Achei o texto dela o retrato do que é ser mulher hoje em dia e assino embaixo do texto. Ainda vivemos em um mundo machista onde muita coisa nos é privada apenas por sermos mulheres. Temos que fazer nossas escolhas sim, e sem nos importarmos com a opinião de ninguém.

    ResponderExcluir
  5. Olá flor, adorei a crônica...faz pouco tempo que eu aprendi a gostar desse gênero, mas ele me conquistou pra valer.

    Gosto de ler coisas assim, que valorizam a essência feminina, hoje em dia o mundo tem se tornado tão individualista e preconceituoso que quase nunca vemos textos valorizando a mulher moderna, aquela que corre atrás do seus objetivos e luta com garra por seus ideais. PARABÉNS!

    Super beijo

    ResponderExcluir
  6. Olá... Adorei o texto... foi simples e sincero... nos retratou... esses dias estava pensando sobre isso o poder de escolher que nós temos e que foi conseguido a duras penas... porque o poder masculino era mais forte e era lei, uma mulher que eram mal falada por um homem, não passava de uma pária na sociedade, perdia seus direitos e não tinha respeito nem de seus familiares... hoje realmente as coisas estão diferentes, mas percebo que ainda precisamos lutar mais.. no mais é como você disse, a cada dia que passa podemos ser o que queremos e na hora que queremos. Xero!

    ResponderExcluir
  7. Fê sempre arrasando!! Amei o texto, lindo demais!! Falou muitas verdades, falou da nossa essência, do ser mulher. Fico feliz em ver o quanto conquistamos ao longo desses anos, e temos muito a conquistar ainda!!! Podemos ser o que quisermos e vamos conquistar muitas coisas ainda...Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Linda crônica! E que potencial têm as mulheres hein! Este mês foi lindo de ver as postagens sobre o tema. gostei mesmo! Essa crônica arrasou e fechou o meu mês da melhor forma possível! Parabéns à autora pelo talento. Desejo sucesso!

    Bjus!

    ResponderExcluir


Algumas regrinhas:

. Terminantemente proibido qualquer manifestação preconceituosa, racista, homofóbica e etc.. Respeito em primeiro lugar sempre.
. É claro que se você me seguir, eu vou lhe seguir, só dizer que seguiu no comentário e colocar seu link (não só segui me segue de volta, ok?)

Obrigada por comentar... a sua presença é muito importante para nós.

Volte sempre ^^

Clubenetes.