[Resenha] O Diário de uma escrava - Rô Mierling

Boa Tarde Clubenautas, hoje trazemos a resenha de um mega sucesso do Wattpad, livro finalizado dia 23/05 com mais de meio milhão de leituras e em primeiro lugar no gênero suspense, ele foi um dos livros mais realistas e arrepiantes que lemos, então teve resenha dobradinha entre duas de nós. Tentamos fazer vocês olharem esse drama que é tão assustador e tão verdadeiro por dois pontos de vista, o assunto merece total atenção...  Escravidão, Estupro, Sequestro e como o rumo da vida das pessoas podem tomar caminho obscuros algumas vezes por descuido ou atitudes inconsequentes....

Parabéns duplo a Autora Rô Mierling por ter trazido um tema tão pouco abordado em nosso país, mas que infelizmente faz parte da realidade.

Conheçam mais sobre esse livro...

Diário de uma Escrava - Rô MierlingISBN-13: 9788594540195ISBN-10: 8594540191Ano: 2016 / Páginas: 240Idioma: português Editora: DarkSide Books
Laura é uma menina sequestrada e jogada no fundo de um buraco por alguém que todos imaginavam ser um bom homem. Ela vê sua vida mudar da noite para o dia, e passa a descrever com detalhes sinistros e íntimos cada dia, cada ato, cada dor que o sequestro e o aprisionamento lhe fazem passar. Estevão é homem casado, trabalhador, pai de família, mas que guarda em seu íntimo uma personalidade psicopata. Ele percorre ruas e cidades se apossando da vida de meninas ainda muito jovens, pois dentro de si uma voz afirma que é dele que elas precisam. Mergulhando fundo nessa fantasia, ele destrói vidas, famílias e sonhos, deixando atrás de si um rastro de dor e morte.Narrado em parte em forma de diário, o livro acompanha mais de quatro anos da vida de Laura em um buraco embaixo da terra, período em que algo dentro dela também se modifica de uma forma inimaginável em busca da única maneira para sobreviver. Publicado originalmente na plataforma digital Wattpad, onde já teve mais de um milhão e meio de leituras, DIÁRIO DE UMA ESCRAVA apresenta um retrato duro, cruel, abominável, mas infelizmente corriqueiro no Brasil e em todo o mundo.
Através de Laura, raptada ainda adolescente por um homem que ela chama de “Ogro”, a autora denuncia os diversos tipos de violência que muitas mulheres são obrigadas a suportar em silêncio e nas sombras da sociedade. O “Ogro”, um homem aparentemente comum, honesto e “acima de qualquer suspeita”, mantém Laura presa em uma casa afastada, onde abusa dela sexual e mentalmente, alegando ser ela o seu verdadeiro amor. Laura, compreensivelmente, só pensa em escapar dali. Mas agora ele parece estar mudando. Será que é o melhor momento mesmo para fugir?... Bem, isso você vai ter que ler para descobrir.



RESENHA DUPLA: VERSÃO GIULI

Um livro muito tenso, realista e reflexivo...


Faz-nos pensar, que não importa onde nós estivermos sempre estaremos cercados de pessoas das quais não fazemos a mínima ideia de quem são, ou quais seus piores pensamentos...


Você pode ter cruzado com um psicopata na igreja que você sua família frequentam todos os domingos, em um Ônibus lotado ou pode ser aquele seu vizinho sorridente e simpático que te cumprimenta diariamente... Ninguém conhece o lado mais sombrio do ser humano, ninguém estaria preparado para conhecer o interior, por trás das fachadas...

Esse livro é o relato de uma jovem, que teve sua vida perfeita roubada... Ela foi sequestrada, estuprada e violentada, mas pior de todos os males... Foi Escravizada! Ela vive com seu algoz por longos quatro anos, já perdeu toda dignidade que o ser humano possa ter. Da menina doce e inocente que Laura foi só restou à esperança, o resto são emaranhados de ódio e raiva e a vontade ambígua entre a sobrevivência e a morte.
Clique para ampliar

Laura nos faz ficar emocionados, com raiva e ódio, em uma narrativa muito bem descritiva e assustadoramente realista conseguimos entrar no âmago da personagem, teve horas que tive que pausar a leitura pelo mal estar causado pelas cenas fortes e cruéis. O Algoz de Laura é um homem que seria invisível e acima de todas as suspeitas na sua rua ou na sua vizinhança... Ele é um homem trabalhador, casado que leva sua “vida” entre a normalidade e o sadismo.

Laura não foi sua primeira vítima e não será a última. Ele é chamado de assassino das donzelas, pois sua sede é em jovens virgens e puras, ele as pega ainda no inicio da puberdade... Laura só deu o tremendo azar de sobreviver ao martírio diário. Uma das coisas mais incríveis de acompanhar nesse livro foi o jeito como a autora vai mudando sutilmente as visões e sentimentos de Laura sobre a vida, sobre o algoz e sobre a crueldade...

Não tem como ler e não se identificar com a Laura, se por no lugar dela, sentir o que ela vem sentindo com as maldades, é impossível ficar alheio. Por isso digo, para ler esse livro tem que ter estômago forte, tem que ter empatia e ser muito psicologicamente sã, para não ficar um pouco louco com todas as maldades ali contida.

A Autora usou de casos reais, então isso fica na mente o tempo todo durante o livro, como uma pessoa é capaz de tamanha maldade? E como alguém conseguiria sobreviver a tanto sofrimento? Não faço ideia! Eu sou apaixonada por esse estilo de livro e posso dizer que é um dos melhores suspenses que li em anos, o final é surpreendente, realista e um pouco assustador! Quer ler um bom suspense com doses dramáticas e verdadeiras de crueldade realistas? Leia Diário de Uma Escrava!


RESENHA DUPLA: VERSÃO VANDA

O Diário de uma escrava é um livro baseado em fatos reais, que narra a história de um psicopata sequestrador de meninas adolescentes. Ele age sempre da mesma maneira: captura as vítimas, tranca-as em um buraco construído por ele, sem as mínimas condições de higiene e sobrevivência, e as brutaliza física e psicologicamente. O fim das meninas é sempre trágico. Ou acabam morrendo por não suportarem tamanha violência e brutalidade ou, depois de um determinado tempo, ele se cansa da vítima e a mata de maneira perversa e cruel. Depois, ele parte em busca da próxima vítima.


Os relatos são de Laura, uma jovem menina capturada aos 15 anos, que apesar dos maus tratos e violência, foi poupada pelo psicopata, por ter despertado nele um sentimento “especial”.

Clique para ampliar

O livro tem uma grande carga emocional. Laura acabou de completar 15 anos. É bonita, ingênua e feliz. É arrancada do convício de sua família e de seus amigos por um psicopata cruel e acorda em um buraco escuro e fétido. A partir daí, começa a ser brutalizada física e psicologicamente. É um relato perturbador. Laura vai contando dia a dia todas as agruras de seu confinamento. Ela é estuprada, torturada, espancada, violada, humilhada. Vive em constante estado de medo e terror de seu perverso e sádico sequestrador e, o que a mantém viva, é a esperança de um dia conseguir fugir, voltar para sua família, seus amigos, sua antiga e feliz vida. Pensou, e por diversas vezes, tentou fugir. Certa vez, conseguiu escapar, mas está assustada, desatualizada, fragilizada, sozinha. Acaba voltando para o cativeiro por achar que o sequestrador é a única pessoa que gosta e se importa com ela (Síndrome de Estocolmo???) .

São dias e dias de um relato forte, pungente, no qual o leitor vai experimentando sentimentos controversos, embora ache que o sentimento mais inquietante que o livro produz no leitor é a certeza de que nenhum de nós estamos livres de cruzarmos com um psicopata desse em nosso caminho. Afinal o ogro, como Laura o chamou desde o início de seu cativeiro, pode estar sentado ao seu lado em um ônibus, andando lado a lado com você num shopping. Pode ser seu colega de trabalho, de escola, de faculdade. Estar na mesma fila do cinema que você. Pode ser o namorado ou marido de sua amiga. Enfim, normalmente é uma pessoa acima de qualquer suspeita, e isto é muito preocupante e assustador.


“O trauma psicológico é o sofrimento dos impotentes. Ele tem início no instante em que a vítima se torna indefesa diante de uma força que a subjuga. Quando essa força é da natureza, nós a chamamos de catástrofe. Quando é exercida por outros seres humanos, nós a chamamos de violência. Eventos traumáticos sobrepujam os sistemas habituais de cuidado que oferecem às pessoas a sensação de controle, pertencimento e sentido.”

(Judith Herman, Trauma and Recovery)

PlayList Para o Livro feita pelas Resenhistas 





Esperamos que muitas pessoas leiam e reflitam.
Muitos de nós vivemos nossas vidas sem imaginar que o perigo está sempre a espreita esperando apenas uma brecha...
Cuidado! Proteja os seus!
Até a Próxima!
Beijos duplos da Giuli e da Vandinha.





Créditos:
Resenha: Vanda e Giuli
Imagens: Tiradas da Internet
Vídeo: Youtube
Diagramação: Giuli