[Marcio Zanini 78] Sidney Sheldon

Talvez você não conheça o autor Sidney Sheldon, mas acredite, vale a pena conhecer.


Sidney Schechtel mais conhecido como Sidney Sheldon, foi um escritor e roteirista norte-americano. Durante sua vida, Sheldon publicou dezoito romances; todos alcançaram a lista de mais vendidos do jornal The New York Times. Eles totalizaram mais de 300 milhões de cópias vendidas, com traduções para 51 idiomas, distribuídos em cerca de 180 países, por esse fato, ele é considerado "o escritor mais traduzido do mundo" pelo Guinness. O escritor também é creditado por 250 roteiros televisivos, seis peças para a Broadway e 25 filmes.

A estreia de Sidney como escritor de romances ocorreu em 1970, quando publicou seu livro A Outra Face. Ele decidiu lançar o suspense como livro por que achou que era muito "psicologicamente variado" para cinema, TV ou palco; a história de um psicólogo que é acusado de assassinato foi vendida para a editora Morrow por mil dólares. A Outra Face foi nomeado "Melhor Livro de Estreia" nos Edgar Allan Poe Award de 1971. Seu segundo livro foi O Outro Lado da Meia-Noite, lançado três anos depois do primeiro; ele alcançou o primeiro lugar na lista de mais vendidos do The New York Times e permaneceu nela por 53 semanas. A partir de então ele passou a dedicar-se aos livros, lançando diversos outros bem sucedidos, como A Ira dos Anjos e Se Houver Amanhã.

Apesar de ter sido bem sucedido em suas vendas, o autor nunca foi aprovado pela crítica, que publicava resenhas geralmente depreciativas. Várias de suas obras foram adaptadas para séries ou filmes, muitas vezes tendo o autor como produtor.


Sheldon geralmente colocava mulheres como personagens principais de seus livros. Ele afirmou, em uma entrevista para a Associated Press em 1982, que gostava "de escrever sobre mulheres que são talentosas e capazes, mas o mais importante, mantêm sua feminilidade. As mulheres têm um poder tremendo - a sua feminilidade, porque os homens não podem fazer sem isso". Muitos de seus personagens masculinos eram "malévolos" e "impiedosos". Os romances eram escritos com elevado grau de suspense e sensualidade, e costumavam contar com elementos como fama, fortuna, intrigas, assassinatos, desaparecimentos e vinganças. Ele comentou que tentava escrever seus livros "de uma maneira que os leitores não pudessem largá-lo. Construí-los de um jeito que o leitor termina um capítulo e tem que ler mais um". Sidney acreditava que não podia "enganar o leitor", por isso, sempre que descrevia algum lugar visitado por seus personagens, havia estado nele.

O autor tinha o costume de contar a história oralmente para que sua secretária a digitasse ou usar um gravador, completando em média 50 páginas por dia. No dia seguinte, ele fazia a revisão do que havia feito no dia anterior e repetia o processo até que o livro estivesse finalizado. Então ele fazia diversas revisões da obra, podendo passar até um ano até liberar para ser publicado.

Considerado um workaholic, ele trabalhou em diversas áreas, mas afirmou que escrever livros era a sua favorita: "Eu amo escrever livros. Filmes são uma mídia colaborativa, mas quando você cria um livro, está fazendo sozinho. É uma liberdade que não existe em nenhuma outra mídia".
Sheldon sofreu de transtorno bipolar, chegando a tentar o suicídio aos 17 anos. Ele faleceu em 30 de janeiro de 2007, aos 89 anos, devido a complicações causadas por uma pneumonia.

Sidney Sheldon vende tanto que continua assim mesmo depois de sua morte, seus escritos inacabados continuam ganhando vida com a ajuda de Tilly Bagshawe, escritora que emula com habilidade o estilo inconfundível de Sheldon.

Opinião Pessoal

Sidney Sheldon é um dos autores, junto com Irwing Wallace, que me fez amar livros e decidir que era isso que queria fazer da vida, criar histórias adultas, ousadas e que prende-se o leitor do começo ao fim. Ambos foram e são uma inspiração até hoje em minha vida. Sempre estou relendo livros ou trechos que gosto. Aprendo com cada detalhe, cada maneira de contar um pensamento ou surpreender o leitor. 
Sidney Sheldon é leitura obrigatória a todo fã de livros e principalmente a todos que vivem da escrita.
Nunca será um desperdício ler qualquer livro do autor. Todos são incríveis. Bem construídos e arrebatadores. Seus livros podem ser adquiridos em várias livrarias espalhadas pelo país e nas lojas virtuais. 

Fontes: wikipedia




Um comentário:

  1. Márcio, eu não só conheço, como sou fã de carteirinha. Já li todos os títulos dele lançados no Brasil. "O outro lado da meia noite" foi o primeiro livro que li dele e depois não parei mais. Realmente, acho que para os amantes da leitura, Sidney Sheldon é leitura obrigatória.
    Parabéns pela matéria.
    Bjs.

    ResponderExcluir


Algumas regrinhas:

. Terminantemente proibido qualquer manifestação preconceituosa, racista, homofóbica e etc.. Respeito em primeiro lugar sempre.
. É claro que se você me seguir, eu vou lhe seguir, só dizer que seguiu no comentário e colocar seu link (não só segui me segue de volta, ok?)

Obrigada por comentar... a sua presença é muito importante para nós.

Volte sempre ^^

Clubenetes.